Mais municípios do Amazonas fornecem guaraná à envazadora

Passam a integrar a lista de novos fornecedores de guaraná os municípios de Borba, Parintins, Itapiranga, Silves, Canutama e Manacapuru

Manaus – Seis novos municípios passam a fornecer guaraná para a Coca-Cola Brasil a partir deste ano. O anúncio foi feito, esta semana, durante a assinatura do Termo de Compra do produto realizada na sede da Recofarma, a fábrica de concentrados da Coca-Cola na Zona Franca de Manaus (ZFM), com a presença dos produtores do interior.

De acordo com a Recofarma, 100% do guaraná utilizado pela Coca-Cola Brasil é proveniente do Amazonas. (Foto: Divulgação/Recofarma)

De acordo com o diretor da Recofarma, Eraldo Sales, 100% do guaraná utilizado pela Coca-Cola Brasil na Fanta Guaraná, no Guaraná Kuat, no Tuchaua e outros é proveniente do Amazonas, sendo 50% originado da agricultura familiar. Com a inclusão de seis novos municípios, o número total sobe de cinco para 11. “Essa é mais uma demonstração de compromisso que nós temos com a região. Já estamos aqui há 28 anos e desde o primeiro momento realizamos ações concretas para desenvolver a região. A Coca-Cola Brasil tem uma relação muito forte com o Amazonas. Quando falamos da agricultura familiar a meta é que o desenvolvimento alcance muito mais pessoas. Vamos praticamente duplicar a quantidade de guaraná comprada de pequenos produtores”, destacou.

Passam a integrar a lista de novos fornecedores os municípios de Borba, Parintins, Itapiranga, Silves, Canutama e Manacapuru. Os municípios que já forneciam guaraná para a companhia e continuam a comercializar são: Apuí, Novo Aripuanã, Maués, Urucará e São Sebastião do Uatumã.

Para a assinatura do Termo de Compra estiveram presente produtores de Urucará, Silves, Itapiranga e Maués. Representando os dois últimos municípios, o diretor interino da Cooperativa de Produtos Naturais (Copronat), Philippe Schmal, destaca que a parceria com a Coca-Cola Brasil leva estímulo econômico para os municípios. “Nesses municípios havia aquela coisa da desilusão e baixo preço do atravessador que desestimulava a produção. Com a entrada da Coca-Cola e esse processo de estimular as boas práticas e de revitalizar os guaranazais vimos uma oportunidade de retomar essas atividades nesses locais. São pequenos produtores que estão animados para essa comercialização”, comemora.

Na última safra, 223 famílias forneceram guaraná para a Coca-Cola Brasil. A estimativa este ano é aumentar para 300. O trabalho desenvolvido pelas famílias envolve o cultivo do fruto, a colheita, o beneficiamento, o transporte, além dos insumos.

Para a presidente da Associação de Produtores de Maués, Maria Itanilde, a presença da companhia no município, em especial nas comunidades localizadas na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Florest Maués, tem sido fundamental para a organização social e produtiva dos guaranacultores. “É um passo muito importante esse que estamos dando. Estou na terceira gestão à frente da associação e conseguimos nesses anos trabalhar junto com a Coca-Cola na melhoria dos nossos guaranazais. Recebemos assistência técnica e apoio e ter essa garantia de compra é um sinal positivo para todos os produtores que investem no guaraná”, comentou Itanilde.

Empresa do AM vai exportar polpas de frutas para a Ásia

A empresa Unifruit Polpas da Amazônia, que tem sede na Comunidade Novo Remanso, em Itacoatiara, está apostando no mercado asiático para iniciar a exportação dos seus produtos. A Unifruit é uma das 151 empresas amazonenses apoiadas pelo Programa de Qualificação para Exportação (Peiex), que é desenvolvido, no Amazonas, pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex – Brasil), em parceria com a UniNorte.

Nesta quinta-feira (25), representantes da Apex – Brasil e da UniNorte, apresentaram o balanço final das ações desenvolvidas pelo programa. Participaram do evento, o coordenador de Competitividade da Apex-Brasil, Rafael Porto, a coordenadora do Peiex no Estado, Olinda Marinho, a gerente da Escola de Negócios e Hospitalidade da UniNorte, Maria Leônia do Vale, membros do comitê Peiex/PNCE e empresários.