Na Ponta Negra, ambulantes lamentam poucas vendas e desejam um 2018 melhor

Vendedores ambulantes registram vendas ‘tímidas’ neste Reveillon. “Em todos os anos essa época é sempre boa, mas espero que em 2018 seja melhor”, disse um deles

Manaus – Mesmo com a festa da virada do ano, vendedores ambulantes lamentam as poucas vendas e afirmam que a crise é a principal causa das poucas vendas no entorno do calçadão da Ponta Negra, na zona oeste de Manaus.

Na opinião da vendedora ambulante, Yassi da Silva Maia, proprietária de uma banca de pipoca, as poucas vendas são efeito da crise econômica que o Brasil enfrenta e do medo que, segundo ela, o consumidor ainda tem. “As vendas estão devagar, a crise está atrapalhado o ano todo e hoje também. Espero que melhore. Hoje tem bastante gente aqui, mas não estão comprando muito”, lamentou.

Vendedores ambulantes lamentam poucas vendas na Ponta Negra (Foto: Asafe Augusto/Divulgação)

De acordo com a ambulante, a estimativa é que as vendas não cheguem a um quarto do que foi arrecadado no ano anterior. “Em todos os anos essa época é sempre boa, mas espero que melhore e que em 2018 seja melhor”, disse.

O proprietário de uma banca de churros e doces, Jhonatan Godin, também lamentou os números negativos e disse que, mesmo sendo uma data diferente, que, segundo ele, sempre é boa para vendas, os consumidores estão tímidos.

Leia também: Público da zona leste festeja a virada de ano no Shopping Phellipe Daou

Bem mais próximo ao Anfiteatro da Ponta Negra, a vendedora Vânia Soares, proprietária de uma banca de petiscos, afirmou que, pelo atual cenário econômico, as vendas deste dia 31 de dezembro não estão entre as piores. “Por enquanto na minha banca está fazendo fila. Apesar da crise estou conseguindo vender bem”, afirmou.

Anúncio