Pagamento do novo auxílio emergencial começa na próxima terça-feira

O ministro da Cidadania, João Roma, confirmou que serão quatro parcelas de R$ 250 para a maioria dos beneficiários

Brasília – A nova rodada do auxílio emergencial começará a ser paga em 6 de abril, anunciou nesta quinta-feira (31) o governo federal durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto, em Brasília.

Auxilio-emergencial (Foto: Divulgação)

Pagamento do novo auxílio emergencial começa na próxima terça-feira. (Foto: Divulgação)

Ao lado do presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Cidadania, João Roma, confirmou que serão quatro parcelas de R$ 250 para a maioria dos beneficiários. Mulheres chefes de família receberão R$ 375 e pessoas que vivem sozinhas, R$ 150.

“É mais um endividamento da União. Isso pesa para todos nós. É uma conta que fica para nós e gerações futuras. Estamos preocupados com as mortes. Hoje nosso comitê se reuniu com as autoridades previstas. Como sempre disse: tínhamos e temos 2 inimigos, o vírus e o desemprego. É uma realidade. Não é ficando em casa que vamos resolver o problema”, afirmou Jair Bolsonaro.

O presidente sinalizou que essa pode ser a última rodada do benefício e reconheceu que o valor é baixo. “É pouco, reconheço, mas é o que a Nação pode dispensar à população. Os efeitos sociais da pandemia não podem ser mais danosos do que o próprio vírus. A fome mata muito mais do que o próprio vírus. Temos que enfrentar a realidade”, disse. “Sabemos que não podemos continuar com o auxílio para não comprometer nossa economia. Faço um apelo para lockdowns sejam revistos.”

Em sintonia com o chefe, o ministro da Cidadania, João Roma, destacou que o auxílio emergencial é um “alento para o povo”, não representando assim a solução para os problemas gerados em consequência da pandemia. “É um alento para o povo. Viabilizado pela PEC (Proposta de Emenda Constitucional), [que autoriza o pagamento] de R$ 44 bilhões, com quatro parcelas. São recursos públicos para os quais teremos que ter o maior zelo”, afirmou.

Contas digitais

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, explicou que não há necessidade de os beneficiários abrirem novas contas no banco. “Faremos primeiro os depósitos nas contas digitais. Todos já têm. Depois de algumas semanas será disponibilizado o saque.”

De acordo com o executivo, mais da metade de quem recebeu o auxílio até dezembro, já faz o gasto digitalmente, o que evita o deslocamento dos clientes em um momento de recrudescimento da pandemia.

“Isto é um legado do presidente. Porque esta população está bancarizada e teve uma inserção digital”, analisou.”A Caixa, mais uma vez, ajuda na operacionalização para dezenas de milhões de pessoas. Com isso, vamos minimizar filas e aglomerações e pagar o mais rápido possível”, disse.