Petrobras anuncia a venda da refinaria Reman

A estatal informou, nesta sexta-feira (26), que pretende vender oito refinarias no Brasil, entre elas a unidade de Manaus, a Refinaria Isaac Sabbá (Reman), a única da Região, desde a década de 1950

Manaus – A Petrobras informou, nesta sexta-feira (26), que pretende vender oito refinarias no Brasil, entre elas a unidade de Manaus, a Refinaria Isaac Sabbá (Reman), localizada no Distrito Industrial, zona sul da capital.

A Reman é a única refinaria da Região Norte e foi construída pelo empresário Isaac Sabbá, em 1956, como Companhia de Petróleo da Amazônia (Copam). Em 1957 foi inaugurada pelo presidente Juscelino Kubitschek. Em 1974, o governo militar retirou o controle das mãos de Isaac Sabbá e estatizou a refinaria passando para o controle da Petrobras. Em 1997, passou a se chamar Refinaria Isaac Sabbá. Em 2000, teve a sua capacidade de produção ampliada para 46 mil barris por dia. Atualmente, a Reman abastece 27% do mercado da Região Norte e processa 70% da produção da base da Petrobras, em Urucu, no interior do Amazonas.

Para Petrobras, decisão faz parte da venda de ativos não estratégicos (Foto: Divulgação/Petrobras)

Além da Petrobras serão vendidas as refinarias de Abreu e Lima, a Unidade de Industrialização do Xisto, as refinaria Landulpho Alves, Gabriel Passos, Presidente Getúlio Vargas, Alberto Pasqualini e a Lubrificantes e Derivados de Petróleo do Nordeste (Lubnor).

Segundo a Petrobras, essa decisão faz parte do programa de venda de ativos considerados não estratégicos. Se a decisão for levada adiante, a Petrobras vai deixar de ter o monopólio de refino no Brasil. “É uma anomalia uma única empresa ter 98% da capacidade de produção de determinados produtos, qualquer que seja a circunstância”, disse o presidente da Petrobras, Castello Branco.

Empresas especializadas em refino e tradings estão entre as potenciais interessadas no negócio. Castello Branco afirmou que a Petrobras não venderá as refinarias a um único comprador para evitar monopólios regionais. A meta é vender 100% de cada unidade de refino.

Além das refinarias, a Petrobras quer se desfazer de seus negócios de distribuição de gás e da rede de postos de combustíveis no Uruguai. No total, são 13 unidades, com produção de 2,2 milhões de barris diárias. “A intenção é vender metade da nossa capacidade de produção”, disse Castello Branco.

Segundo a Petrobras, a venda das refinarias visa a à concentração em ativos de maior rentabilidade e a dar mais competitividade e transparência ao segmento de refino no Brasil.

As iniciativas, segundo nota divulgada pela companhia, fazem parte do Plano de Negócios e Gestão 2020-2024, que tem previsão de aprovação e divulgação no quarto trimestre deste ano.

Anúncio