PIM registra a maior geração de empregos diretos dos últimos dois anos

De acordo com o secretário especial da Sepec do Ministério da Economia, Carlos Alexandre da Costa, foram criados 5.700 empregos diretos e mais de 20 mil indiretos

Manaus – A geração de empregos diretos, no Polo Industrial de Manaus (PIM), foi a maior dos últimos dois anos, segundo o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec) do Ministério da Economia, Carlos Alexandre da Costa, durante a reunião do Conselho de Administração da Suframa (CAS), nesta quinta-feira (5). De acordo com ele, foram criados 5.700 empregos diretos e mais de 20 mil indiretos.

A reunião do Conselho de Administração da Suframa (CAS) foi realizada nesta quinta-feira (5) (Foto: CGCOM/Suframa)

“Nós tivemos um ano bastante feliz para a Zona Franca de Manaus. A atividade industrial cresceu a dois dígitos. A criação de empregos diretos foi a maior dos últimos anos. Foram 5.700 diretos, mais de 20 mil indiretos, comparado com o ano passado, com 4.600, e 3.600 no ano anterior”, analisou.

Para o secretário especial da Sepec, o resultado é fruto de várias iniciativas, como a segurança jurídica, mostrando que a intenção não é acabar com os incentivos da região.

“Muito pelo contrário, reconhecemos a importância da Zona Franca de Manaus para proteger nosso território, para defender a nossa floresta e para gerar emprego e renda para a região. Além de segurança jurídica, nós trabalhamos para melhorar infraestrutura, por exemplo, com asfaltamento do Distrito Industrial, trabalhamos com a redução de burocracia, simplificamos vários processos, apoiamos os investimentos de novas empresas na região”, acrescentou.

Carlos Alexandre disse que, para o ano que vem, o trabalho deve continuar, estimulando novas áreas, simplificando e viabilizando investimentos. “Por exemplo, no setor de cosméticos e outros setores modernos que vão fazer com que a economia da região continue se desenvolvendo”, completou.

Conforme o superintendente da Zona Franca de Manaus (Suframa), Alfredo Menezes, foram aprovados mais de 144 projetos nas três reuniões do CAS realizadas neste ano.

“A economia brasileira vem de uma recuperação, ela teve um crescimento baixo, começou a crescer agora, nos dois últimos meses. Porém, aqui no PIM ela veio crescendo fora desse padrão. Nós tivemos, no primeiro semestre, basicamente, 11%”, afirmou.

Na reunião realizada nesta quinta-feira, foi analisada uma pauta com 31 projetos industriais, sendo 14 de implementação e 17 de diversificação, ampliação e atualização. Os projetos estimam investimentos totais de US$ 198.39 milhões, com faturamento previsto de US$ 869 milhões e a geração de 1.174 empregos no PIM até o final dos três primeiros anos de operação.

Anúncio