PIM tem queda de 2% em novembro, diz IBGE

A produção do Estado, em novembro, caiu 2%, sobre novembro de 2017. É a quarta maior queda do País. No acumulado, entretanto, o Amazonas está entre os quatro maiores Estados

Manaus – Em novembro, a indústria amazonense perdeu ritmo de produção e recuou 3,5%, na comparação com outubro, e 2% com relação a novembro de 2017, segundo a pesquisa mensal do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os resultados negativos na indústria foram o segundo e o quarto maior do País, respectivamente.

O desempenho em novembro puxou o indicador do acumulado de 2018 para 6,1%, enquanto nos últimos 12 meses ficou em 6,8%. “Mesmo com a queda nos acumulados, a indústria local ainda apresenta números superiores à média nacional”, aponta a pesquisa. O acumulado até o penúltimo mês do ano, coloca o Amazonas entre as quatro melhores posições do País. Nesta comparação, a liderança cabe ao Pará, onde a indústria cresceu até novembro 9,9%. A média de crescimento do País ficou em 1,5%.

Em relação a outubro, a indústria teve redução de 3,5% (Foto: Jair Araújo/Arquivo)

Seis das dez atividades pesquisadas influenciaram de forma negativa os resultados de novembro. Borracha e material plástico – garrafas, garrafões e peças plásticas – foi a atividade que teve a maior queda (-21,3%); fabricação de máquinas e equipamentos – ar-condicionados split e central (-21,2%); máquinas, aparelhos e materiais elétricos – disjuntores, alarmes, conversores e baterias (-19,5%); impressão, reprodução e gravações – discos fonográficos (-16,3%); foram as atividades que mais influenciaram a queda.

Por outro lado, houve quatro atividades com desempenho positivo no mês: Fabricação de produtos de metal – aparelhos de barbear, tampas, estruturas de ferro (25,6%); Indústria extrativa – gás natural (14%); outros equipamentos de transporte – peças para motocicletas e motocicletas (10,2%).

Nacional

Apesar do aumento de 0,1% de outubro para novembro de 2018, a produção industrial recuou em nove dos 15 locais pesquisados pelo IBGE no período. As principais quedas ocorreram em Goiás (-6,2%) e no Amazonas (-3,5%).

Também tiveram queda os Estados do Rio de Janeiro (-2,2%), Pará (-1,3%), Bahia (-1,2%), Santa Catarina (-0,9%), Espírito Santo (-0,8%) e Mato Grosso (-0,4%). A região Nordeste, também pesquisada em seu conjunto de nove Estados, teve uma queda de 0,8%.

Apenas seis locais tiveram alta: Pernambuco (1,4%), Paraná (1,1%), Ceará (0,9%), São Paulo (0,7%), Minas Gerais (0,7%) e Rio Grande do Sul (0,4%).

Na comparação com novembro de 2017, a indústria nacional recuou 0,9%, comportamento seguido por oito dos 15 locais pesquisado.