‘Plano Dubai’ divide opiniões no Estado

Divulgado pelo jornal Folha de S.Paulo, na segunda-feira (10), o ‘Plano Dubai’ do governo federal foi avaliado por políticos do Amazonas e pelo superintendente da Suframa, Alfredo Menezes

Manaus – O superintendente da Zona Franca de Manaus, Alfredo Menezes, endossou, em coletiva de imprensa realizada, nesta terça-feira (11), na sede da Suframa, a nova proposta do governo federal para quando acabarem os incentivos da Zona Franca de Manaus (ZFM), previstos para serem extintos em 2073. O ‘Plano Dubai’ foi revelado em matéria da última segunda-feira (10) pelo jornal Folha de S.Paulo e está em estudo pela Secretaria de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec).

O superintendente Alfredo Menezes fez questão de assegurar que essas discussões, no momento, em nada afetam ou prejudicam as regras atuais de benefícios fiscais da ZFM, uma vez que os incentivos estão garantidos na Constituição.

A nova proposta objetiva, em linhas gerais, incentivar fortemente a pesquisa e a atração de investimentos em cinco segmentos: biofármacos; turismo; defesa; mineração; e piscicultura. “O chamado ‘Plano Dubai’, muito comentado na mídia local, é simplesmente uma amplificação de exploração dos vetores econômicos da nossa região. A Zona Franca de Manaus em hipótese nenhuma será fragilizada”, reforçou Menezes.

O superintendente da ZFM, Alfredo Menezes, defende o Plano Dubai (Foto: Divulgação/Suframa)

Críticas
O deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) criticou, ontem, o projeto do governo federal. “O governo federal diz por um lado que não tem dinheiro para pagar o programa Bolsa Família neste mês e está dizendo que tem um Plano Dubai para fazer investimentos de bilhões de dólares aqui na Amazônia? Eles estão brincando com a gente”, disse Serafim. O parlamentar alerta, que sem superar as barreiras de infraestrutura impostas pelo excesso de burocracia, a região não terá viabilidade mínima para avançar em outras matrizes. “Nós estamos há 35 anos tentando abrir a BR-319. São duas gerações e não conseguimos”, exemplificou.

Defesa da ZFM
O senador Omar Aziz enfatizou que “nada vai substituir a Zona Franca” e que a proposta da Sepec trata de atividades que já são foco de ações no Estado, mas que não substituem o modelo ZFM. Para Aziz, outras atividades são bem-vindas para somar com a Zona Franca que é “um modelo sustentável”. Ele destacou que polos como o de mineração devem levar em consideração a questão ambiental.

O governador Wilson Lima, afirmou não haver “a menor possibilidade de aceitar o fim da Zona Franca de Manaus” e que seu governo tem compromisso em desenvolver outros polos econômicos. “A Zona Franca é um patrimônio do povo do Amazonas”, disse.