Plataformas facilitam operações dos microempreendedores individuais

Ferramenta eletrônica ajuda a deixar ‘às claras’ as obrigações de alguém que adere ao MEI, evitando que retorne à informalidade e desenvolvendo o controle dos negócios

Manaus – O aumento significativo no número de microempreendedores individuais, o MEI, vem despertando o interesse de diversos setores e empresas, que estão criando oportunidades e facilitando a vida desses players. O Brasil tem 30 milhões de microempreendedores, com 7 milhões de MEIs formalizados, que desempenham papel fundamental na economia e geração de novos negócios.

O País tem 30 milhões de microeempreendedores, sendo 7 milhões de MEIs. (Foto: Patrícia Cruz/A2IMG)

O aumento da formalização dos microempreendedores tem facilitado e muito as relações destes profissionais com empresas às quais eles já prestavam serviços, muitos como autônomos. Ao mesmo tempo esse processo tem criado oportunidades para o MEI com as empresas que exigem que o prestador de serviço tenha um CNPJ. Bons exemplos são os setores de instalação e manutenção ou de marketing direto.
Como muitas dessas empresas que lidam diretamente com diversos tipos de prestadores de serviços exigem uma nota fiscal para que o dinheiro saia de seus caixas, existe a necessidade de conhecer a burocracia e poder lidar cada vez mais com a rotina de se profissionalizar. A gestão de pequenos fornecedores dentro de uma grande empresa pode acarretar altos custos. Em um cenário onde apenas 11% dos MEIs formalizados emitem nota fiscal, sem contar os mais de 20 milhões que nem formalizados são, milhares de brasileiros têm procurado plataformas para a organização dessas pendências. Uma dessas plataformas é  a MEI Fácil, que hoje atua em mais de 4 mil cidades do País e conta com mais de 150 mil usuários.
De acordo com Rodrigo Salem, co-fundador da MEI Fácil, a plataforma ajuda a deixar às claras as obrigações de alguém que adere ao MEI. “Além de oferecermos facilidades de abertura da inscrição como microempreendedor individual (obtenção do CNPJ), notamos que a emissão de notas fiscais e até boletos de cobrança por parte destes profissionais tem facilitado a recorrência dos serviços para grandes e médias empresas, que já recorriam a estes profissionais, mas que encontravam complicações na hora do pagamento de suas remunerações” conta o executivo.
Em um cenário no qual alternativas de renda extra são cada vez mais procuradas, a formalização/regularização do microempreendedor ajuda também para o futuro. “A contribuição mensal do MEI formalizado conta para sua aposentadoria e proporciona os direitos da previdência. Muitos não sabem, mas o MEI paga uma contribuição menor que a pessoa física para ter os mesmos direitos previdenciários”, completa Salem.

Burocracia

A MEI Fácil tem desenvolvido novos produtos que poderão facilitar ainda mais essa relação Empresa-MEI, fazendo com que as companhias possam também ter um ecossistema capaz de atender burocracias que antes eram capazes de impedir a execução de serviços por quem tinha o talento, mas ainda não possuía as ferramentas necessárias para se livrar dos processos engessados e burocráticos.
Profissionais, autônomos e empresas de setores como entrega, logística e transportes, manutenção, vendas diretas e eventos devem ganhar com um cenário cada vez mais regularizado e com plataformas que facilitam desde o pagamento, até a inclusão de meios de recebimentos por parte do MEI.