Preços de combustíveis no AM são os mais baixos do Norte, aponta Ticket Log

Em novembro, o preço do etanol caiu quase 7% na comparação com outubro, com média de R$ 3,19 o litro, e do diesel, 3%, a R$ 3,25, segundo o levantamento na rede credenciada

Manaus – O preço médio dos combustíveis no Amazonas continua um dos mais baratos da Região Norte. O Índice de Preços Ticket Log (IPTL), levantamento realizado em 36 mil postos da rede credenciada da Ticket Log, o que representa 60% dos estabelecimentos de todo o País, mostrou que, em novembro, o preço do etanol no Estado caiu quase 7% na comparação com outubro, com média de R$ 3,19 o litro, e do diesel, 3%, a R$ 3,25.

Levantamento apurou variação dos derivados e do etanol (Foto: Eraldo Lopes)

Já a gasolina mais cara foi encontrada no Acre, que registrou aumento de 7,67%, chegando à média de preço de R$ 4,77. O Estado também teve o diesel mais caro, apesar da queda de preço na comparação com os dados apurados em outubro: R$ 3,91 o litro. O etanol mais caro foi registrado no Pará em valores médios de R$ 3,68.

Criada a partir da aliança entre Ticket Car e Ecofrotas, a Ticket Log atua no segmento de gestão de despesas corporativas no Brasil, por meio de gestão de abastecimento, manutenção e outras soluções integradas.

Acumulando 25 anos de experiência, a Ticket Log se torna a marca mais completa do mercado nacional, entregando soluções em mobilidade para empresas de todos os tamanhos. Atualmente, conta com 27 mil empresas-clientes, administra 1 milhão de veículos em sua base de clientes e possui uma rede de mais de 36 mil comerciantes credenciados.

Novo reajuste

A Petrobras anunciou um novo reajuste para os combustíveis, com aumento de 1,40% no preço da gasolina nas refinarias e alta de 0,70% no do diesel. Os novos valores valem a partir da quinta-feira.

A nova política de revisão de preços foi divulgada pela petroleira no dia 30 de junho. Com o novo modelo, a Petrobras espera acompanhar as condições do mercado e enfrentar a concorrência de importadores.

Em vez de esperar um mês para ajustar seus preços, a Petrobras agora avalia todas as condições do mercado para se adaptar, o que pode acontecer diariamente. Além da concorrência, na decisão de revisão de preços, pesam as informações sobre o câmbio e as cotações internacionais, informou a companhia.

Anúncio