Procura por atendimento psicológico na pandemia impulsionou o empreendedorismo

O cenário tem impulsionado o mercado de trabalho na área de Psicologia. Empreender pode ser uma alternativa atrativa para os profissionais da área

Manaus – Os profissionais de Psicologia têm sido um dos mais demandados nesse período de pandemia de coronavírus. A Organização Mundial da Saúde (OMS) já considerava que doenças como a depressão e ansiedade, teriam grande incidência neste século. Com a atual situação, a tendência é que esses casos aconteçam com mais frequência. Esse cenário tem impulsionado o mercado de trabalho na área de Psicologia, inclusive apresentando oportunidades para o empreendedorismo.

(Foto: Divulgação)

Segundo a professora do curso de Psicologia da Faculdade Santa Teresa, Suky Ramalho, empreender pode ser uma alternativa atrativa para os profissionais da área, nos diversos campos de atuação. Nos últimos anos, diz ela, tem-se observado um crescimento na demanda, principalmente nos segmentos de atendimento clínico e de consultoria em Recursos Humanos.

Ela ressalta que, mesmo com o mercado aquecido, empreender não é uma tarefa fácil. “Uma receita de como ser um empreendedor de sucesso, com certeza, não existe. Porém, alguns requisitos são fundamentais, como ter um propósito definido; objetivos realistas; perseverança e autodisciplina, um plano de negócios; ser criativo e inovador; competente naquilo que se propõe a fazer e manter-se atualizado, priorizando a sua capacitação e aprofundando suas competências, para crescer e ser reconhecido profissionalmente”, pontuou.

De acordo com Suky Ramalho, a primeira recomendação para investir no empreendedorismo é saber como começar e ter consciência de que no início vai demandar mais investimentos do que o retorno financeiro. Uma alternativa é firmar parcerias, ou seja, alocar horários vagos em uma clínica que já esteja montada. Outra dica é investir no marketing pessoal, utilizando os meios digitais, como por exemplo, as redes sociais. Com isso, o profissional pode produzir conteúdos e interagir com as pessoas, possibilitando que o público conheça os seus serviços. Outra estratégia muito eficaz é investir na ampliação do networking.

“No mercado de trabalho atual, as parcerias são importantes para quem deseja crescer e consolidar seu nome. Colegas de profissão ou instituições parceiras podem potencializar muito os resultados. Por sua vez, escolher um nicho específico é muito importante. Ser um psicólogo generalista, que atende todas as faixas etárias, por exemplo, pode ser bom inicialmente, para conseguir mais pacientes. Mas, delimitar um público-alvo, especializando-se nesse campo de atuação, certamente trará maior reconhecimento profissional e credibilidade social”, destacou.

Na hora de começar a planejar o próprio negócio, o psicólogo precisa ter uma boa ideia e a definição do tipo de serviço que será oferecido e o público-alvo, diz ela. “No projeto, é necessário estabelecer o segmento que deseja empreender – se é psicologia clínica, organizacional e do trabalho, desportiva, ou tantas outras opções que a profissão permite”, afirmou.

Também é importante, orienta Suky Ramalho, fazer uma pesquisa de mercado, para entender que áreas estão com poucos projetos. “Conhecer a realidade, analisando as necessidades existentes, constitui uma estratégia eficiente para criar serviços que ofereçam soluções acerca do comportamento humano. Captar recursos, sejam financeiros ou parcerias, para colocar o projeto em prática. Definir uma identidade visual no mercado e divulgar os serviços oferecidos. Nesse aspecto, é importante manter a ética e a seriedade, considerando as regras que o Conselho Federal de Psicologia instituiu sobre a publicidade dos serviços psicológicos. A melhor forma de crescer e obter suc esso é oferecer um serviço de qualidade”.

Suky acredita que, independente de ser um psicólogo recém-formado ou com anos de carreira, é fundamental não ter medo de se lançar em um projeto novo, identificando oportunidades no mercado que possibilitem empreender e desenvolver negócios inovadores. “Certamente, será uma decisão grandiosa, que requer coragem, iniciativa, foco e determinação”.