Produção de bicicletas avança 26,9%, em julho, em relação a julho do ano passado

Este foi o melhor resultado para o mês de julho desde 2013, quando saíram das linhas de produção 87.025 bicicletas. De acordo com os dados são da Abraciclo divulgados, nesta terça-feira (13)

Manaus – As fabricantes de bicicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus – PIM produziram 85.131 unidades em julho, o que representa alta de 26,9% sobre julho de 2018 (67.068) e de 45,6% na comparação com junho (58.467). Os dados são da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo). Este foi o melhor resultado para o mês de julho desde 2013, quando saíram das linhas de produção 87.025 bicicletas.

Ainda de acordo com os dados da Abraciclo, o desempenho acumulado dos sete meses do ano também foi positivo. Foram 476.319 bicicletas fabricadas de janeiro a julho, alta de 19,4% na comparação com o mesmo período do ano passado (399.086).

Produção de bicicletas cresceu 27% em um ano (Foto: Reinaldo Okita/Arquivo/DA)

Na avaliação de Cyro Gazola, vice-presidente do Segmento de Bicicletas da Abraciclo, “o aumento da produção de bicicletas está relacionado a dois fatores: preparação das fábricas para datas sazonais, como o Dia das Crianças, e os lançamentos previstos para o segundo semestre, que vão manter o setor aquecido nos próximos meses.”

A projeção da Abraciclo para 2019 é de 857 mil bicicletas produzidas no PIM, correspondendo a uma alta de 10,8% na comparação com 2018 (773.641 bicicletas).

Exportações

A partir de dados do portal Comex Stat, em julho foram exportadas 1.291 bicicletas. Os principais destinos foram o Paraguai, com 1.090 unidades e 84,4% de participação, Argentina, com 128 unidades e 9,9% de participação e Chile, com 64 unidades e 5% de participação.

No resultado dos sete meses do ano, as exportações das bicicletas brasileiras somaram 10.083 unidades, alta de 71,8% ante o mesmo período de 2018 (5.869). A Argentina foi o principal destino, com 3.778 unidades e participação de 37,5%, seguida pelo Chile (2.679 unidades e 26,6%) e Paraguai (1.877 unidades e 18,6%).

Anúncio