Produção do PIM é a melhor desde 2012, aponta IBGE

No ano passado, a produção industrial amazonense teve um crescimento acumulado de 5,2% sobre 2017. Na passagem de novembro para dezembro, a alta foi de 4%, no Estado

Manaus – Com um crescimento acumulado de 5,2%, em 2018, a indústria amazonense teve o melhor desempenho dos últimos cinco anos, desde 2012, quando cresceu 6,1%. Os dados divulgados, no sábado (9), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontaram ainda que o setor industrial apresentou aumento de 4%, na passagem de novembro para dezembro de 2018.

Crescimento da indústria do Amazonas foi a 3ª maior do País, em 2018. (Foto: Sandro Pereira/Arquivo/GDC)

Das dez atividades industriais pesquisadas mensalmente pelo IBGE, cinco tiveram desempenho positivo, em 2018, com destaque para fabricação de outros equipamentos de transporte (17,8%), fabricação de bebidas (14,2%), fabricação de produtos de metal (8,7%) e Fabricação de informática e eletrônicos (7,3%).

Por outro lado, outras cinco atividades puxaram o indicador para baixo: Impressão, reprodução e gravações (-22%), fabricação de máquinas, aparelho e materiais elétricos (-17,3%), fabricação de borracha e material plástico (-16,2%), máquinas e equipamentos (-11,6%) e coque e produtos derivados de petróleo (-4,6%).

O Estado do Pará com 9,6% liderou o crescimento da indústria no País durante 2018. A segunda posição ficou com o Rio Grande do Sul (5,5%) e na terceira posição o Amazonas (5,2%). A média nacional da produção industrial ficou em 1,1% no ano.

Dezembro

Com alta de 4%, o Amazonas ocupou a terceira posição no ranking entre as 14 unidades da federação pesquisadas pelo IBGE.

No entanto, em comparação com dezembro de 2017, o setor apresentou queda de 5%. Apesar dessas retrações, o setor industrial amazonense fechou o ano de 2018 com saldo positivo de 5,2%.

De acordo com o IBGE, o desempenho de dezembro em relação ao mês anterior, trouxe recuperação depois do fraco desempenho em novembro (-3,5%). No entanto, na comparação com igual mês do ano anterior, a queda de -5% reduziu o acumulado de crescimento que em novembro era de 6,1%, fechando em dezembro com 5,2%.

Durante o mês, somente quatro das dez atividades econômicas tiveram desempenho positivo, com destaque para a indústria extrativa (14,8%) e coque de produtos derivados de petróleo e biocombustíveis (10,8%). Já com relação as atividades com desempenho negativo durante o mês, pode-se destacar: impressão e gravação (-81,1%), borracha e plástico (-38,7%), equipamentos de informática, eletrônicos e óticos (-23,1%), entre outros.