Produção industrial do AM cresce 14,6% em julho e aponta tendência de retomada, diz IBGE

O levantamento do instituto mostra que a alta de 14,6%, em julho, em relação a junho, colocou o Amazonas na terceira posição entre as outras Unidades da Federação

Manaus – A produção industrial do Amazonas mostra tendência de recuperação, ao crescer 14,6%, em julho, percentual bem acima da média nacional de 8,0%. De acordo com a pesquisa mensal do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), quando comparado com igual mês do ano passado, a alta foi de 6,0%, mas há forte retração no acumulado do ano de -15,9%, pelos efeitos da quarentena da Covid, que paralisou 30% das fábricas do Polo Industrial de Manaus (PIM).

O levantamento do instituto mostra que a alta de 14,6%, em julho, em relação a junho, colocou o Amazonas na terceira posição entre as outras Unidades da Federação. Os piores desempenhos foram os do Mato Grosso, com -4,2%, Espírito Santo, com -0,3%, e Bahia, com -0,3%. E os melhores foram os do Ceará, com 34,5%, Espírito Santo, com 28,3%, e Amazonas.

Já o desempenho de 6,0%, em julho de 2020, em relação ao mesmo mês do ano anterior, colocou o Estado na segunda posição entre as outras Unidades da Federação. Os piores desempenhos foram os do Espírito Santo, com -13,4%, Paraná, com -9,1%, e Pará, com -7,5%. E os melhores, os de Pernambuco, com 17,0%, Amazonas, com 6,0%, e Goiás, com 4,0%.

De acordo com o IBGE, as atividades com maior volume de produção industrial do Amazonas foram a fabricação de bebidas (8,7%), impressão e reprodução de gravações em DVDs e discos (90,1%), fabricação de produtos de borracha (0,4%), fabricação de produtos de metal, como lâminas, aparelhos de barbear e estruturas de ferro (24,5%), fabricação de equipamentos de informática e eletrônicos, como celular, computador e maquinas digitais (18,8%), e equipamentos de transportes, como motocicletas e suas peças (3,7%).

 

Anúncio