Saques do abono no AM chegam a R$ 71 milhões para 98 mil beneficiários

Segundo levantamento do Ministério do Trabalho, no Estado, somente 98.733 dos 321.719 trabalhadores realizaram os saques de seus respectivos valores até o momento. O benefício ficará disponível até junho de 2018

Manaus – O Ministério do Trabalho (MTE) divulgou, na última semana, um balanço dos saques referentes ao Abono Salarial ano-base 2016, que teve seu primeiro lote liberado no mês de julho deste ano. Segundo o levantamento, dos 321.719 trabalhadores, no Amazonas, que têm direito ao benefício, somente 98.33 realizaram os saques dos seus respectivos valores, o que corresponde a um valor de R$ 71 milhões.

No Brasil, somente 30,56% das pessoas com direito ao benefício sacaram o dinheiro (Foto: Eraldo Lopes)

Além disso, o MTE registrou que 222.986 trabalhadores ainda não realizaram seus saques totalizando um valor de R$ 161 milhões. Ainda de acordo com o balanço, a Região Norte conta com 1.410.487 trabalhadores identificados como beneficiários do Abono Salarial e somam o valor de R$ 728 milhões. Os valores ficarão disponíveis para saque até 29 de junho de 2018.

Apesar dos valores estarem disponíveis desde julho, no Brasil, somente 30,56% das pessoas com direito ao benefício sacaram o dinheiro até este momento. O recurso já foi liberado para os empregados privados nascidos de julho a novembro e servidores públicos com inscrições de 0 a 4.

De lá para cá, 7,49 milhões de trabalhadores sacaram o dinheiro, que soma R$ 5,51 bilhões. Há ainda mais de 17 milhões de beneficiários para receber quantias que, juntas, chegam a R$ 12,52 bilhões.

O valor de cada benefício depende do período trabalhado no ano-base e varia de R$ 79 a R$ 937. Quem trabalhou formalmente durante todo o ano com salário médio de até dois salários-mínimos recebe o valor cheio. Quem trabalhou um mês, por exemplo, com esses mesmos pré-requisitos, recebe 1/12 do valor, e assim sucessivamente.

Também são pré-requisitos para ter direito ao abono estar cadastrado no PIS ou Pasep pelo menos cinco anos antes do ano-base. E a empresa para a qual a pessoa trabalhava, em 2016, precisa tê-la registrado no Relatório Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho.

Os trabalhadores vinculados ao PIS retiram o dinheiro nas agências da Caixa Econômica Federal ou casas lotéricas de todo o País.

Os vinculados ao Pasep sacam o benefício no Banco do Brasil. Para saber quando o dinheiro será liberado, é necessário ficar atento ao calendário, que é vinculado ao mês de nascimento dos empregados privados e ao número final da inscrição dos servidores.

Anúncio