Sebrae orienta artesãs e costureiras a criarem máscaras na pandemia do coronavírus

Dezenas de profissionais da área, que ficaram impossibilitadas de movimentarem suas vendas com os decretos municipal e estadual de fechamento das lojas, feiras de rua e outros pontos de comercialização de artesanatos, migraram para esta atividade

Manaus – O Sebrae Amazonas está orientando artesãs e se reinventarem na pandemia, a partir da produção de máscaras artesanais. Dezenas de profissionais da área, que ficaram impossibilitadas de movimentarem suas vendas com os decretos municipal e estadual de fechamento das lojas, feiras de rua e outros pontos de comercialização de artesanatos migraram para esta atividade. Serviço está se mostrando rentável em meio à crise da saúde pública com o Coronavirus, que provocou até o momento mais de 185 mortes em menos de um mês.

Analista sênior do Sebrae e uma das mais respeitadas especialistas do artesanato brasileiro da Amazônia, especialmente o indígena, Lilian Simões disse “que não poderia ficar esperando os decretos serem levantados e partiu para ajudar centenas de profissionais, que passaram a fazer máscaras neste momento da pandemia provocada pelo coronavírus.

“A luta não tem sido fácil para o segmento do artesanato e da moda. Estamos vivendo um mercado de incertezas, porém os (as) profissionais do setor estão se reinventando e aproveitando as oportunidades imediatas para fazer capital de giro, com solidariedade”, comentou.

A estilista de moda e micro empresária Alzira da Silva disse que as coisas mudam e que as pessoas se adaptam, se renovam e dão a volta por cima com criatividade e iniciativa. “Eu uso a mesma máquina que faço roupas para fabricar máscaras coloridas e cheias de alegria. Hoje, o look que costuro é muito menor em tamanho, mas gigante em função social, porque faltam máscaras no mercado e nós salvamos vidas com as que estamos fazendo”, comentou. Encomendas podem ser feitas pelos telefones: 99215-3664, 98112-9439 e 99267-1582.

A designer de moda Sandra Lasmar disse que aproveita tecidos que seriam descartados, por serem recortes e sobras. Mas como as máscaras são de pequeno porte está aproveitando todo os seus materiais excedentes e transformando em proteção contra o coronavírus. Ela trabalha com tecido de jeans e consegue surpreender pela beleza e qualidade do material de proteção. “Como as fibras são muito coesas entre si cria uma barreira natural contra o vírus. Estou conseguindo me manter com esta nova atividade”. Encomendas podem ser feitas pelos número 99264-8092.

Diarista

A diarista e costureira Neliana Silva se viu da ‘noite para o dia’ como ela diz e sem um tostão no bolso, depois que a pandemia tomou conta do mercado e as pessoas ficaram com medo de contratar seus serviços de diarista. “Eu não poderia ficar esperando e passei a fazer máscaras na minha casa. Vendo mais de 200 máscaras por dia e estou indo bem com a nova profissão: costureira da vida”, comentou. Encomendas pelo telefone: 99164-9151.

Parceria

Junto com o Sebrae na parceira social e geradora de renda emergencial está a Secretaria Executiva do Trabalho e Empreendedorismo (Setemp) do Estado. Uma ação conjunta que está auxiliando mais de 200 artesãos e costureiras a sobrevirem neste momento emergencial da pandemia.

” Nós estamos com o Sebrae, que tem grande capacidade mobilizadora. Gostaríamos que a sociedade comprasse desses profissionais, que além de estarem precisando, tem feito máscaras leves, alegres e de bom material contra o coronavirus”, disse a secretária Neila Azrak.

Anúncio