Sebrae orienta sobre crédito em meio a Covid

Pequenos e microempresários devem renegociar salários com colaboradores, buscar o crédito federal para a folha de pagamento, entre outras medidas aconselhadas pelo Sebrae

Manaus – Nesse momento conturbado de crise por conta da pandemia do Coronavirus, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) está orientando e capacitando os seus clientes (uma base de 170 mil micros e pequenos empresários no Estado), dos quais mais de 50% são atendidos pela instituição.

Com todo o atendimento online – que conta com 80 analistas em crédito, gestão, marketing digital, vendas, mais de 120 cursos de formação em empreendedorismo e uma série de outros serviços focados na defesa e orientação das micro e pequenas empresas, a instituição registrou mais de 16 mil atendimentos em menos de um mês.

Crise da Covid-19 se equivale ao crash de 1929, mas hoje há mais recursos (Foto: Divulgação/Sebrae)

A meta inicial de 2020 do Sebrae era atender 22 mil clientes, mas com “o atual fluxo de atendimento: entendemos que podemos duplicar esta performance durante o período da pandemia e manter o crescimento, logo após o surto passar; em função dos bons resultados que estamos obtendo na orientação dos empresários, nesta crise sem precedentes”, destacou a gerente da Unidade de Atendimento e Relacionamento (UAR), Helena Garcia , que tem sob sua responsabilidade uma equipe que responde por mais de 73% do que se gera em entregas no Sebrae Amazonas.

Segundo o economista e analista sênior de Crédito do Sebrae, Evanildo Pantoja, “uma crise econômica deste porte, causada por um vírus, é surpreendente e se equivale ao que ocorreu em 1929 com a quebra da Bolsa de Nova York, mas hoje estamos melhor preparados”.

Ele frisou também que os empresários, neste momento, tem que por em prática os planos de sobrevivência. Nesta direção, as primeiras atitudes a serem tomadas são; pagamento da folha (com ajuda do governo, se necessário, em função das medidas emergências provocadas pelo coronavirus); e negociação com os funcionários, para não haver demissões. Neste item estão a diminuição de salários consensuais, férias coletivas e redução da carga horária de trabalho.

E caso seja necessário um processo de financiamento, os empresários devem analisar com calma e procurar juros baixos.

Quem for pedir empréstimo na Afeam, neste momento, deve saber que o dinheiro será repassado para atender o essencial das empresas como folha de pagamento, água, luz, aluguel.

O Sebrae está tomando medidas para ampliar a atuação do Fampe (Fundo de Aval das Micros e Pequenas Empresas), na direção de que mais empresas possam ter acesso ao crédito.

Anúncio