Setor imobiliário de Manaus dá sinais de retomada, aponta Ademi

Após uma queda de 40% na comercialização de imóveis residenciais em Manaus, no ano passado, janeiro começa com o fechamento de 241 negócios, que movimentaram R$ 67,7 milhões, aponta Ademi

Manaus – Após a queda de 40% nas vendas do ano passado, o mercado imobiliário de Manaus dá sinais de recuperação, em janeiro, com a comercialização de 241 unidades, que movimentaram R$ 67,6 milhões. Os dados foram divulgados, nesta quinta-feira (1), pela Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Amazonas (Ademi-AM) e o Sindicato da Indústria do Mercado Imobiliário do Amazonas (Sinduscon-AM).

Janeiro começa com o fechamento de 241 negócios, que movimentaram R$ 67,7 milhões, aponta Ademi. (Foto: Sandro Pereira)

O Índice do Mercado Imobiliário aponta que, em janeiro, os imóveis econômicos lideraram os vendas brutas, com 142 unidades, seguido pelo padrão médio com 26 unidades comercializadas. Em relação as vendas por preço do metro quadrado, os imóveis residenciais entre R$ 3 e 4 mil foram as mais vendidas com 94 unidades; seguidas das unidades com preço por metro quadrado entre R$ 4 a 5 mil com 56 unidades vendidas e de R$ 5 a 7 mil, com 32 unidades vendidas.

De acordo com o presidente da Ademi, Romero Reis, existem ótimas perspectivas para o mercado em 2018, um crescimento de aproximadamente 10%, uma vez que as empresas melhoraram seus processos com empreendimentos voltados à realidade do mercado, e gerando um poder de compra maior. “O panorama para o mercado está em mudança desde o final de 2017 e, para este ano, apostamos num crescimento sólido, mais maduro e muito mais forte”, disse.

Outro destaque relevante da pesquisa mostra que o bairro que mais vendeu unidades foi o Tarumã, com 102 unidades vendidas no mês de janeiro, representando 42% do total das unidades verticais residenciais vendidas.

Anúncio