Taxa de desocupação de Manaus cai para 17,7%, mas ainda é alta, diz IBGE

Em relação às outras capitais, a taxa de desocupação registrada em Manaus (17,7%) está entre as três maiores, junto com Salvador e Macapá, ambas também 17,7%, segundo os dados da Pnad Contínua

Manaus – A taxa de desocupação do estado do Amazonas passou de 15,9% ,no primeiro trimestre, para 13,9% no segundo trimestre desse ano. Isso significa uma queda de 2,0 pontos percentuais. Na Região Metropolitana de Manaus, a queda da taxa de desocupação foi de 1,8% pontos percentuais com o primeiro trimestre registrando 18,3% e o segundo trimestre de 2019 registrando 16,5%.

Na cidade de Manaus, essa queda foi de 1,7%. A taxa de desocupação marcou 19,4% no primeiro trimestre e 17,7% no segundo trimestre. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados, ontem, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em relação às outras capitais, a taxa de desocupação registrada em Manaus (17,7%) está entre as três maiores junto com Salvador e Macapá, ambas também 17,7%. As menores taxas ficaram em: Florianópolis (7,5%), Goiânia (7,9%) e Campo Grande (8,0%). No segundo trimestre, a taxa de desemprego do país recuou para 12%, percentual inferior aos 12,7% do primeiro trimestre deste ano e aos 12,4% do segundo trimestre de 2018.

A taxa de desemprego caiu em dez das 27 unidades da Federação. No Amazonas. a taxa caiu de 20,2% para 13,9% (Foto: Ana Volpe/Agência Senado)

A taxa caiu em dez das 27 unidades da Federação na passagem do primeiro para o segundo trimestre deste ano. As maiores quedas ocorreram no Acre, de 18% para 13,6%, Amapá, de 20,2% para 13,9%, e em Rondônia, de 8,9% para 6,7%. Nas outras 17 unidades da Federação, a taxa se manteve.

Em relação às outras unidades da federação, o Estado do Amazonas, com a taxa de desocupação de 13,9%, ocupou a 9ª posição dentre as maiores taxas. As maiores taxas registradas foram na Bahia (17,3%), Amapá (16,9%) e Pernambuco (16,0%). As menores foram em Santa Catarina (6,0%), Rondônia (6,7%) e Rio Grande do Sul (8,2%).
Em relação às regiões metropolitanas (RM), a taxa de desocupação registrada em Manaus (16,5%) foi a 5ª maior. As maiores foram na Grande São Luís (19,5%), RM de Salvador (18,6%) e na RM de Macapá (18,2%). As menores taxas ficaram na RM de Florianópolis (7,9%), de Goiânia (8,6%) e Curitiba (10,0%).

No segundo trimestre de 2019, o número de pessoas ocupadas no estado do Amazonas foi de 1,62 milhão de pessoas, registrando aumento de 76 mil pessoas ocupadas em relação ao 1º trimestre. No segundo trimestre de 2019, o Brasil tinha 3,3 milhões de pessoas em busca de emprego há dois anos ou mais. No trimestre anterior, esse contingente era de 3,319 milhões de desempregados em busca de uma vaga há tanto tempo.

Em relação ao segundo trimestre de 2018, aumentou em 6,2% o contingente de desempregados há pelo menos dois anos. Outros 1,8 milhão de trabalhadores procuram emprego há mais de um ano, mas menos de dois anos. O grosso dos desempregados no quarto trimestre, 5,8 milhões, estava em busca de uma vaga havia pelo menos um mês, mas menos de um ano. Na faixa dos que tentavam encontrar um trabalho havia menos de um mês, estavam 1,7 milhão de pessoas.