Turismo tem R$ 1,2 bilhão em crédito para setor

Para o Amazonas são 128 milhões disponibilizados pelo Fungetur e gerenciados pelo Banco da Amazônia para beneficiar empreendedores do setor, em especial micro e pequenas empresas

Manaus – Afetadas pelo agravamento da pandemia de Covid-19, as empresas de turismo poderão recorrer a uma linha de crédito para financiar o capital de giro. A Caixa Econômica Federal e o Fundo Geral de Turismo, administrado pelo Ministério do Turismo, ofereceram R$ 1,2 bilhão em empréstimo para o setor. Já para o Amazonas, a pasta disponibiliza R$ 128 milhões por meio do Banco da Amazônia.

O anúncio foi feito na última sexta-feira (23), durante a inauguração da segunda etapa do Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques (CCAVV), com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Os recursos serão liberados via governo federal, por meio do Fundo Geral do Turismo (Fungetur), do Ministério do Turismo. Ao todo, R$ 128 milhões serão destinados ao turismo amazonense, de um total de R$ 1,2 bilhão. O crédito será viabilizado pelo Banco da Amazônia para beneficiar empreendedores do setor, em especial micro e pequenas empresas.

“Nada é igual a uma experiência em turismo como o Estado do Amazonas, que oferece pesca esportiva, contemplação da natureza, ecoturismo. Temos um desafio pela frente. O Brasil sempre foi um País que exportava turistas, nós mandamos para o exterior 11 milhões de turistas por ano, e hoje, devido à pandemia, esses brasileiros estão aqui, viajando dentro do Brasil, se deslumbrando. E aqui na Amazônia não podia ser diferente”, destacou o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, acrescentando que não é possível dissociar turismo da preservação ambiental e da cultura.

Objetivo é contemplar empresas afetadas pela pandemia da Covid (Foto: Valter Campanato/ABr)

Sobre o Fundo

O Fungetur é um mecanismo de crédito essencial ao fomento do turismo como negócio e estratégia para o desenvolvimento social e econômico. Por meio da oferta de crédito a empresas direta ou indiretamente ligadas ao turismo, promove a elevação do nível dos serviços prestados ao turista, a expansão das oportunidades de instalação de novos negócios, além da geração de emprego e renda.

Entre os principais objetivos do Fungetur, estão o crédito competitivo para os empresários do ramo de turismo; apoio à infraestrutura turística básica; geração de renda; aumento da oferta de empregos diretos e indiretos; além de proporcionar o desenvolvimento do turismo e diminuir os impactos da pandemia por meio da oferta de crédito.

Gerenciamento nacional será pela Caixa Econômica Federal

Diferente da ajuda anterior para o turismo, que era restrita às médias e grandes empresas, a nova linha está aberta a micro e pequenas empresas, que faturam até R$ 4,8 milhões por ano. Para as demais regiões, a Caixa Econômica Federal também flexibilizou as garantias (bens que podem ser tomados em caso de inadimplência) a serem apresentadas pelos tomadores.

Com juros de 5% ao ano, mais a taxa Selic (juros básicos da economia, atualmente em 2,75% ao ano), a linha de crédito pode ser paga em até 60 meses (cinco anos). O empresário começará a pagar a primeira parcela depois de 12 meses de carência.

Acesso

Para ter acesso às condições especiais da linha de crédito, as empresas devem ter mais de 12 meses de constituição e terem o certificado do Cadastur, cadastro de prestadores de serviço pelo Ministério do Turismo que garante acesso a financiamentos oficiais e apoio em eventos e feiras turísticas. O cadastro pode ser feito clicando aqui.

De posse do certificado, a empresa pode contratar a linha de crédito numa agência da Caixa ou entrar em contato na página Caixa com Sua Empresa.

Anúncio