Veja quais os profissionais mais procurados pelo PIM nos próximos 3 anos

Empresas enfrentam dificuldades para contratar profissionais com conhecimentos específicos e fluência em línguas estrangeiras 

Manaus – Os profissionais de Engenharia de Automação, Eletrônica, Elétrica e de Materiais de nível Médio e Técnico serão os mais requisitados nos próximos 3 anos pelas empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM), com a procura de até 3,3 mil capacitados. Esse é o resultado da Pesquisa de Demanda de Profissionais do PIM, que apontou, ainda, a busca por Logística, Administração, Planejamento e Controle de Produção (PCP), Automação, Química e Informática. Já para o nível Superior, sobressaem as engenharias Mecânica, Eletrônica, Elétrica, Automação, Química e Materiais.

blank

(Foto: Divulgação)

Os resultados da pesquisa foram apresentados na última quinta-feira (6),  durante workshop promovido no auditório do Serviço Nacional da Indústria (Senai Amazonas), por seus realizadores: a Coordenadoria de Relações de Trabalho e Emprego da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), da Comissão de Recursos Humanos do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam) e da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH/AM).

De acordo com a sondagem, as maiores dificuldades que as empresas do PIM enfrentam para contratar recursos humanos de níveis Técnico e Superior são a falta de profissionais com conhecimentos específicos e a falta de fluência em línguas estrangeiras.

Na ocasião, o vice-presidente da Fieam, Nelson Azevedo destacou que o momento atual da indústria está favorável, com projeções positivas para esse ano e para os próximos, com controle da inflação, possibilidade de redução da taxa de juros e redução do desemprego. “Entendemos que para garantirmos a competitividade, a partir da evolução tecnológica, precisamos ter pessoas preparadas e qualificadas para continuarmos sendo referência mundial na produção de produtos inovadores e de qualidade”, disse Azevedo.

Apresentada pela gerente de parceiros de negócios de RH da Electrolux, Virginia Valle, juntamente com o professor e coordenador do curso de Contabilidade da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), André Costa, a pesquisa é a segunda realizada pelas mesmas entidades organizadoras. A última foi feita em 2012 e tem por objetivo trazer um inventário da necessidade de mão de obra dos principais segmentos da indústria, demonstrando, por área de atuação, as demandas de mão de obra para PIM nos próximos anos.

blank

(Foto: Divulgação)

O levantamento é realizado junto a empresas dos segmentos Eletroeletrônico (28%), Plástico (16%), Relojoeiro (12%), Duas Rodas (8%), Bebidas (8%) e outros (28%) do PIM.

A sondagem estima demanda de 2.168 a 3.321 contratações de profissionais com ensino médio e/ou técnico nas áreas de Mecânica, Eletrônica, Elétrica, Automação, Química e Informática para os próximos três anos no PIM (PIM). De acordo com a projeção, haverá no mínimo 553 vagas em Informática e 515 em Automação, áreas que lideram a procura.

A pesquisa não é a primeira realizada pelas entidades. A última foi feita em 2012 e tem por objetivo trazer um inventário da necessidade de mão de obra dos principais segmentos da indústria, demonstrando, por área de atuação, as demandas de mão de obra para PIM nos próximos anos. De acordo com a projeção, haverá, no mínimo, 553 vagas em Informática e 515 em Automação, áreas que lideram a procura.

O levantamento é realizado junto a empresas dos segmentos Eletroeletrônico (28%), Plástico (16%), Relojoeiro (12%), Duas Rodas (8%), Bebidas (8%) e outros (28%) do PIM.

Nível Superior

Para profissionais de nível Superior, a estimativa de demanda total para os próximos 3 anos, sobressaem as engenharias de Mecânica, Eletrônica, Elétrica, Automação, Química, Materiais,  de, no mínimo, 771 vagas, com máxima de 2.870, sendo no mínimo 181 vagas para Engenharia de Automação e 165 para Engenharia Elétrica.

Nas atividades meio, nas áreas de Controladoria, Financeiro, RH, Administração, Informática, Logística, PCP, Jurídico e Compliance, a previsão é de no mínimo 1.228 vagas com máximo de 4.942, sendo no mínimo 213 para a área de Logística e 181 para Administração e PCP, líderes de procura.

Segundo André Costa, o levantamento registrou carência de profissionais na área de automação, e de mão de obra, de nível superior e técnico, para setores específicos, como injeção plástica, extrusão, para o polo naval. Na comparação com os resultados da pesquisa realizada em 2012, constata-se mudança das áreas de maior demanda. Antes era para os setores de Mecânica e Eletrônica e, em 2024, a demanda está voltada para Informática e Automação. A pesquisa confirmou mudança nas estratégias de retenção de pessoal: em 2012, o maior atrativo baseava-se em pacote de benefícios e salário; em 2024, o colaborador busca por plano de saúde e creche/escola.

Além da apresentação dos resultados da pesquisa, o workshop também contou com a palestra “Talento, Criatividade e Reinvenção”, ministrada pelo diretor executivo da empresa Parque de Ideias, Durval Braga Neto, especialista em consultoria de gestão empresarial nas áreas de cultura organizacional, liderança, vendas e experiência do cliente.

O vice-presidente do Conselho Deliberativo da ABRH Amazonas, José Wilson, também foi responsável por realizar uma dinâmica de investigação apreciativa com a participação do público presente para a discussão e criação de propostas a serem apresentadas futuramente.

A coordenadora de RH da Valgroup AM, Daiane Rebouças, que participou do evento, parabenizou todos os envolvidos no projeto e compartilhou que os efeitos da pesquisa analisada vão trazer grande contribuição para o Amazonas, unindo grandes profissionais de RH e instituições, tanto de ensino quanto de incentivo. “Essas informações vieram para contribuir para as empresas, trazendo a visão do quanto o problema não é isolado e mostrando a grande necessidade de criarmos estratégias para sanar as dificuldades de empregabilidade, o quanto antes”, disse.

Anúncio