Vendas de imóveis da região Norte têm expansão de 40%, superando a do País

Os lançamentos de imóveis no País totalizaram 25.483 unidades, entre abril e junho de 2018, um crescimento de 19,9% em relação ao desempenho dos mesmos meses do ano passado

Brasília – O mercado imobiliário nacional apresentou no segundo trimestre expansão de lançamentos e vendas, além de queda nos estoques, de acordo com levantamento divulgado, ontem, pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), que abrange dados de 21 cidades e regiões metropolitanas.

Vendas de imóveis da região Norte têm expansão de 40%, superando a do País (Foto: Mário Oliveira/Semcom)

Os lançamentos de imóveis no País totalizaram 25.483 unidades entre abril e junho de 2018, alta de 19,9% em relação aos mesmos meses de 2017. Por sua vez, as vendas atingiram 29.951 unidades, crescimento de 32,8% na mesma base de comparação.

Por regiões, o Norte se destaca com aumento de 40,7% nas vendas, seguido pelo Nordeste (34,7%). O Sudeste teve alta de 16,4% e o Centro-Oeste, de 6,7%. O Sul foi o único a apresentar queda: 1,1%.

O estoque de imóveis novos disponíveis para venda chegou ao fim de junho com 124.715 unidades, queda de 14,4% em um ano. Deste montante, 19% são imóveis na planta, 49% em obras e 32% prontos. Considerando a velocidade atual de comercialização dos imóveis, o estoque atual poderia ser escoado em 12 meses. Há um ano, o estoque tinha duração de 19 meses. “O nível de estoque está abaixo até do que na época áurea do setor. É um valor histórico muito bom, mostra uma boa velocidade de vendas”, afirmou o presidente da CBIC, José Carlos Martins, em entrevista coletiva a jornalistas.

O uso de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) preocupa, segundo Martins.

Para ele, houve uma “sangria grande de recursos nos últimos anos” com os saques de contas inativas e a reforma trabalhista, que permitiu a demissão por acordo.