​​Visitação à 31ª Feira Científico-Cultural do Martha Falcão é aberta ao público

Com o tema ‘Ser Humano Integral: Do Microcosmos ao Macrocosmos’, feira tem a proposta de trazer à tona questões da relação do ser humano com o universo

Manaus – O Colégio Martha Falcão vai abrir para visitação do público em geral, nesta sexta-feira (29), a 31ª Feira Científico Cultural, no horário das 7h30 às 16h, na rua Salvador, nº 455 – Adrianópolis. Com o tema ‘Ser Humano Integral: Do Microcosmos ao Macrocosmos’, a feira tem a proposta de trazer à tona questões da relação do ser humano com o universo.

O evento, segundo o colégio, permitiu aos alunos, com o apoio dos professores, pais e equipe pedagógica, se aprofundarem na busca por informações em exposições, museus, centros de pesquisas e aulas passeio em bibliotecas e fazendas, dentre outros.

Evento, aberto ao público, acontece nesta sexta-feira (Foto: Divulgação)

A escola é pioneira na realização de feira de ciências, cuja idéia foi lançada nas escolas estaduais pela patrona da instituição, a educadora Martha Falcão, reconhecida em todo o Brasil por sua dedicação, como professora e cientista, à preservação da Amazônia.

O público poderá conhecer cerca de 50 trabalhos expostos pelos alunos, como Plantas Medicinais; Tinta Natural Como Argila; Adubo Orgânico; Benefícios da Casca de Ovo Para os Seres Vivos; Reino Fungi; A Cura Pela Música; A Cidade Sustentável do Futuro Para Garantir a Segurança dos Animais; Teoria Evolucionista; A Importância das Ciclovias: Os Benefícios Para a Cidade; Os principais Gênios da Humanidade; Avanço na Medicina; O Modo de Vida da População Ribeirinha na Amazônia; e Construindo uma Usina Eólica Indoor.

De acordo com o professor e artista visual Nelson Falcão, o tema “Ser Humano Integral: Do Microcosmos ao Macrocosmos” pretende provocar novas reflexões tanto para os alunos quanto para os visitantes da feira, permitindo a experiência da Cultura e a vivência da Ciência, que mostrará que o ser humano está interconectado não apenas pela tecnologia, mas também através da energia vital, o que nos conecta verdadeiramente a Natureza e ao cosmos.

“As feiras de ciências podem representar uma forma de empoderar o aluno para aprender de uma forma diferente, contextualizando a própria vida. Minha avó teve essa experiência ao longo de sua vida como educadora, conseguindo fazer com que os alunos descobrissem, através da ciência, do que eles realmente gostavam e quais eram suas verdadeiras potencialidades”, disse.

Anúncio