Adolescentes que estudam cedo demais correm mais riscos de sofrerem depressão

A pesquisa foi feita por cientistas da “University of Rochester Medical Center” e analisou 197 estudantes com idades entre 14 e 17 ano

Rio de Janeiro – Um estudo publicado, na última semana, no periódico “Sleep Health” mostrou que começar a estudar antes das 8h30 aumenta os riscos de depressão e ansiedade entre adolescentes.

Adolescentes que estudam cedo demais correm mais risco de sofrer depressão. (Foto: Ilustrativa Pixabay)

A pesquisa foi feita por cientistas da “University of Rochester Medical Center” e analisou 197 estudantes com idades entre 14 e 17 anos. Segundo eles, aulas que começam cedo demais representam uma pressão extra sobre os alunos, exigindo disposição para aprender quando os olhos sequer abriram direito.

A carga de tensão acaba trazendo dificuldades de conseguir dormir. Essa privação de sono, por sua vez, reforça o risco de jovens desenvolverem algum transtorno mental, como a depressão. O horário também impactaria a nutrição das crianças ou o nível das atividades, o que traria consequências ao sono.

“Aulas que começam mais cedo parecem colocar mais pressão no processo de sono e aumentam os impactos na saúde mental. Já os horários tardios parecem ser um forte fator protetivo para adolescentes”, explica o pesquisador Jack Peltz, que recomenda que os adolescentes durmam entre oito e dez horas por dia e reduzam uso de celular.

Os participantes do estudo e seus pais preencheram um questionário sobre hábitos do sono, horários de início das aulas e ainda se eram “pessoas do dia ou da tarde”. Eles foram, então, divididos em grupos, dependendo da hora em que começavam os estudos: antes ou depois das 8h30m.

Os alunos mantiveram um diário por sete dias em que registraram seus hábitos relativos ao sono, qualidade e duração, assim como qualquer sinal de depressão ou ansiedade. Os resultados mostraram que os que começaram a ter aulas após 8h30 tiveram redução nos sintomas de depressão e ansiedade.

A neurologista Andrea Bacelar, especialista em medicina do sono, explica ainda que, na adolescência, o corpo humano ainda está adaptando seu relógio biológico. Daí a necessidade de acordar mais tarde.

“Nessa fase, o ritmo circadiano é um pouco atrasado. Fisiologicamente, o adolescente tende a ter sono um pouco mais tarde que o habitual e, consequentemente, a necessidade de despertar mais tarde. A privação crônica de sono se reflete no humor. Se há predisposição genética à depressão ou ansiedade, a falta de sono é um gatilho”. finalizou.

Anúncio