Fundação Mathias Machline vai oferecer Ensino Médico Técnico a detentos do AM

FMM aderiu a uma proposta suscitada pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) e, com um projeto-piloto, oferecerá Ensino Médio técnico a detentos do sistema prisional de Manaus

Manaus – A Fundação Mathias Machline (FMM) aderiu a uma proposta suscitada pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) e, com um projeto-piloto, oferecerá Ensino Médio técnico a detentos do sistema prisional de Manaus. A informação é do TJAM.

O presidente do TJAM, desembargador Yedo Simões, elogiou a FMM pela adesão à proposta do Judiciário e afirmou que o projeto modificará a vida de muitas pessoas. (Foto: Divulgação)

Nesta sexta-feira (28), o presidente do TJAM, desembargador Yedo Simões, e o presidente do Conselho da FMM, Sung Un Song, reuniram-se para tratar sobre o projeto e definir as atribuições das entidades envolvidas na parceria, cujas competências serão indicadas em um termo de cooperação técnica, que deve ser assinado ainda neste segundo semestre do ano.

Conforme Sung Un Song, embora a Fundação Mathias Machline atue com o Ensino Médio Técnico destinado a jovens de baixa renda, com até 18 anos de idade, pelo projeto-piloto – denominado Projeto Resgatar – o foco será o atendimento para pessoas maiores de 18 anos, internas do sistema penitenciário. “Somos um projeto social que atua há 32 anos no Amazonas investindo na formação de jovens e, agora, queremos ampliar nossos horizontes de atuação, contribuindo com a ressocialização de presos com a perspectiva de oferecer a eles o mesmo conteúdo escolar que é disseminado para nossos estudantes, repassando a eles, além do ensino, valores éticos, morais e de civismo”, anunciou o dirigente da FMM.

O presidente do TJAM, desembargador Yedo Simões, elogiou a FMM pela adesão à proposta do Judiciário e afirmou que o projeto modificará a vida de muitas pessoas. “Esta parceria cria esperança para a sociedade, resgatando pessoas que não têm muitas perspectivas de presente e de futuro. A Fundação tem um método fabuloso de ensino e um histórico educacional que certamente contribuirá com o resgate de detentos, preparando-os para a vida em sociedade e tendo, por meio da certificação, facilitada sua inserção no mercado de trabalho, por exemplo”, disse.

Anúncio