Igreja promove ‘aulões’ gratuitos para vestibular e concurso

As aulas iniciam no dia 7 de março e acontecerão sempre aos sábados em dois horários: 9h às 12h e das 13h às 16h. Inscrições estão abertas até o dia 4

Manaus – Para ajudar os candidatos a se prepararem para concursos e vestibulares, ‘aulões’ serão oferecidos gratuitamente a partir do dia 7 de março, na Chama Church, na Avenida Bispo Pedro Massa, Núcleo 5, Cidade Nova 2, zona norte da capital. Os ‘aulões’ vão ocorrer todos os sábados em dois horários: 9h às 12h e das 13h às 16h. Inscrições estão abertas até o dia 4 de março.

No ‘aulão’ serão abordados os principais assuntos que são cobrados em vestibulares nas áreas de Física, Biologia, Química, Matemática, Língua Portuguesa, História, Geografia e Redação. E assuntos mais pedidos em concursos públicos como Direito Constitucional, Direito Administrativo, Informática, Raciocínio Lógico e outros.

O ‘aulão’ faz parte do projeto ‘Mercy House’ (em português significa ‘Casa de Misericórdia’). A novidade de 2020 é o preparatório para concursos públicos. A iniciativa criada em 2018, é realizada por professores voluntários da igreja e começou com aulas direcionadas para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Este ano o projeto segue até novembro.

As aulas serão sempre aos sábados e em dois horários (Foto: Divulgação)

“O nosso objetivo é oportunizar espaço para um preparo adequado aqueles que não têm condições financeiras. Eu acredito na educação como um instrumento de transformação em relações sociais tão desiguais. E esta é a intenção da nossa igreja, servir o próximo sem querer nada em troca”, explica a coordenadora do projeto de educação da Chama Church, Lídia Helena Oliveira.

As inscrições podem ser feitas no número (92) 98404-5474 e as vagas são limitadas, até 200 pessoas podem participar do ‘aulão’.

Aprovados

Mais de dez alunos já foram aprovados por meio do ‘aulão’ do Enem da Chama Church. Uma delas é Vitória Sabrina Ferreira, que foi aprovada em 2018 para o curso de Licenciatura em Letras Língua Portuguesa, na Universidade Estadual do Amazonas (UEA), após sete meses de dedicação. “Fiquei muito feliz por ser uma das 14 pessoas aprovadas entre 218 concorrentes. Fui a primeira mulher da família a ingressar numa faculdade pública”.

Anúncio