Manaus é pioneira em questionário M-Chat para detecção do autismo

A nova lei coloca a Prefeitura de Manaus como pioneira no País na obrigatoriedade da lista de verificação do autismo para detecção precoce do transtorno nas unidades de saúde e creches municipais

Manaus – O prefeito Arthur Virgílio Neto sancionou e apresentou, na tarde desta terça-feira (14), projetos de leis, entre eles a Lei 2.411, que obriga a aplicação do questionário M-Chat nas unidades de saúde e creches municipais, para rastreio do autismo de forma antecipada. De autoria do vereador Elias Emanuel, a nova lei coloca a Prefeitura de Manaus como pioneira no País, na obrigatoriedade da lista de verificação do autismo para detecção precoce do transtorno.

Arthur apresentou e sancionou 14 novas leis de temas diversos (Foto: Mário Oliveira/Semcom)

Na solenidade realizada no auditório Isabel Victoria do Carmo Ribeiro, na sede da Prefeitura, Compensa, zona oeste, que reuniu parlamentares da Câmara Municipal de Manaus (CMM) e da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), foram apresentadas e sancionadas 14 novas leis que visam melhorar a vida da população com ações em prol da saúde, da educação e da proteção de animais, além de outras medidas cívicas.

“Essa lei é sublime e faz de Manaus a primeira cidade do País a se dispor a detectar imediatamente qualquer sinal de autismo nas crianças ainda bebês. Mas sancionamos outras tão importantes quanto essa, como a cassação de alvará de quem comercialize produtos ilícitos resultantes de roubos ou furtos”, destacou o prefeito que estava acompanhado da primeira-dama e presidente do Fundo Manaus Solidária, Elisabeth Valeiko Ribeiro.

Além da Lei 2.411, que dispõe sobre a obrigatoriedade da aplicação do questionário M-Chat nas unidades de saúde e creches municipais, o vereador Elias Emanuel também teve transformado em lei o projeto que institui, no Calendário Oficial da Cidade de Manaus, a Festa de São Francisco, da Fazenda da Esperança, comemorada anualmente no último fim de semana do mês de setembro, para promover a valorização do dependente químico em recuperação, por meio de atividades laborais, culturais, religiosas e esportivas.

“Esse questionário é composto de 23 perguntas respondidas pelos pais até os 18 meses da criança. Caso duas delas sejam positivas, já há um indicativo suficiente para que a criança passe por uma triagem”, explicou o vereador Elias Emanuel.