Master em PNL dá dicas de como criar um plano de estudos para o Enem

A professora Adrianne Freire explica que o plano de estudos ajudará o candidato a manter a disciplina e o foco, além de evitar, principalmente, a procrastinação

Manaus – As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) iniciaram na última segunda-feira (11) e seguem até 22 de maio. Em meio a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), com o Enem 2020 mantido, especialista dá dicas de como criar um plano de estudos, com ações que precisam ser executadas diariamente para alcançar resultados positivos na prova.

A master em Programação Neurolinguística (PNL), professora Adrianne Freire, explica que o plano de estudo é essencial numa prova como o Enem, que exige conhecimento em várias matérias e ajuda o candidato a estudar diariamente, sem perder o foco e concentração, podendo assimilar melhor os assuntos.

“Isso vai ajudá-lo a manter a disciplina, foco e evitar principalmente a procrastinação. É o que acontece muito, o candidato acaba estudando aquelas matérias que ele gosta mais, deixando de lado outras matérias que são importantes. Quando ele para e analisa, consegue montar um plano de estudo e consegue saber o que precisa executar diariamente”, destaca a professora.

A professora Adrianne Freire é master em Programação Neurolinguística (PNL) (Foto: Divulgação)

Aline Mariscal, 29, faz cursinho preparatório para conquistar uma vaga no curso de Medicina. Por conta da pandemia, as aulas foram suspensas ainda no mês de março. Em abril, ela apresentou sintomas da Covid-19 e, segundo a estudante, foi quando “o desespero bateu”. “Não tem como não entrar em desespero, o desânimo veio com tudo em abril. Mas graças a Deus que, com tudo o que o curso preparatório tem me dado, estou me readaptando, afinal o cenário mudou para todos. Mas é apenas uma fase e temos que usar o instrumento que temos”, explica a candidata.

Adrianne Freire diz que o plano de estudo vai especificar as ações que serão executadas diariamente para alcançar o objetivo de tirar uma boa nota no Enem. O aluno intensifica as matérias que irá estudar durante a semana, dentro do tempo de disponibilidade.

Aline afirma que, como candidata do exame, é importante manter o foco, e não deixar o desespero tomar conta, mesmo com a proximidade do dia da prova. Suas aulas em casa têm se baseado no cronograma enviado pelo curso preparatório.

“Sigo o cronograma que o curso preparatório envia diariamente no grupo do WhatsApp. De segunda a sexta-feira, de 9h da manhã às 17h30, com os professores do cursinho no canal do YouTube, quando consigo acompanhar ao vivo, tem como interagir, mas se não consigo assistir no horário ao vivo, as aulas continuam salvas para assistir quando for melhor para mim”, explica Aline, em relação ao seu plano de estudo neste período de isolamento social.

Preparação em tempos de pandemia

A professora Adrianne Freire destaca que a pandemia mudou a rotina dos alunos, não só com a suspensão das aulas, mas também com a readaptação dos estudos em casa. O cenário mudou, mas é necessário que os candidatos mudem também, impedindo as distrações e trabalhando o cérebro para manter o foco no estudo das disciplinas.

“De fato, a gente tem muitas distrações, e o primeiro passo é eliminá-las. Por exemplo, deixar o celular longe. Vejo muitos alunos que estudam com o celular por perto e, a cada notificação que chega, a atenção é perdida. Quando o estudante olha a notificação e volta aos estudos, ele perde tempo”, comenta a especialista.

Como sugestão, Adrianne diz que os alunos podem aderir a técnica ‘Pomodoro’, um método designado para gerenciar o tempo, que será utilizado para exercer os estudos em um período de 30 minutos, com breves intervalos. Para isso, o aluno vai precisar de um cronômetro.

“A concentração é treino. Enquanto tenho esse cronômetro rodando, eu me proponho a continuar estudando de acordo com aquele tempo, e só vou poder parar de me concentrar nos estudos quando o tempo acabar. Assim que você começa a aplicar a técnica, outros pensamentos vão invadir, mas porque o cérebro ainda não está acostumado. Primeiro passo é natural perder a concentração, segundo passo é entender que você pode trabalhá-la, e você vai treinar seu cérebro para se concentrar”, afirma a especialista.

Outra técnica que pode ser utilizada para manter a concentração é a ‘Técnica do caderninho’. Segundo a máster em PNL, um caderno fica ao lado do aluno para que ele escreva todas as lembranças que possam desconcentrá-lo. “O aluno vai anotar tudo no caderninho. Quando a gente faz isso, conseguimos nos concentrar mais. É como se eu dissesse assim, ‘Cérebro, eu coloquei a informação aqui, não vou esquecer, mas eu só vou resolver quando acabar o tempo destinado para meu estudo'”, finaliza Adrianne Freire.