Pandemia impulsiona busca por aulas de reforço escolar

O método vem contribuindo consideravelmente para a falta de aprendizado de jovens e crianças

São Paulo – Com o vaivém da abertura de serviços essenciais durante a pandemia do coronavírus, estudantes vêm sofrendo grandes consequências de aprendizagem. Alguns estudos já conseguem até mesmo mensurar os danos. Diante da realidade, muitos pais têm buscado nas aulas de reforço a alternativa para repor o conteúdo perdido.

(Foto: Reprodução / Internet))

Mesmo com as adaptações, os alunos brasileiros do 3º ano do ensino médio, por exemplo, deverão concluir esta etapa de ensino em 2021 sabendo apenas 20% do esperado em português. Em matemática, eles poderão regredir.

O dado apresentado faz parte da pesquisa, Perda de aprendizagem na pandemia”, promovida pelo Instituto Unibanco e o Insper. Dentre outros pontos apresentados, o estudo diz ainda que a perda de aprendizagem acumulada devido à pandemia já é estimada em 74% e que o déficit deverá impactar até a renda desses jovens ao longo da vida, retirando 0,5% do salário.

Ações imediatas para reverter o quadro

A pesquisa afirma que é possível reduzir as perdas de aprendizagem em 35% a 40% caso algumas ações sejam adotadas. Entre elas: dobrar o engajamento dos estudantes, adotar o ensino híbrido ao longo de todo o 2º semestre de 2021, adaptar currículos e acelerar o aprendizado.

E diante de toda essa realidade de incertezas, mas que vem contribuindo consideravelmente para a falta de aprendizado de jovens e crianças, muitos pais têm buscado nas aulas de reforço a alternativa para repor o conteúdo perdido.

O CEO Rafael Rocha, especialista em uma empresa de reforço escolar, nos primeiros seis meses deste ano, a quantidade de alunos já aumentou cerca de 120% em comparação aos anos de não pandemia. Atualmente são quase 10 mil estudantes matriculados.

“A demanda sempre existiu como forma de auxílio, mas aumentou com a Covid. Muitos pais começaram a nos procurar devido às dificuldades dos filhos em acompanhar as matérias. E como trabalhamos de forma individual e personalizada, atuando exatamente nas dificuldades do aluno, eles de fato aprendem e evoluem”, explica.

Rafael conta que as aulas são planejadas de acordo com as necessidades reais de cada aluno. De forma on-line, o encontro é realizado em plataformas de vídeos, como o Skype e o Google Meet e conta com o respaldo de ferramentas de ensino como lousas digitais, vídeos e materiais de apoio.

Anúncio