Influenciador é criticado após posar com Flordelis, acusada de assassinato

Na manhã desta terça-feira (18), internautas ficaram indignados e subiram a palavra “assassina” nos assuntos mais comentados do Twitter

Campo Grande, MS – Após publicar uma foto e uma série de vídeos com a deputada federal e pastora Flordelis (PSD-RJ), o influenciador digital Thomas Santana está sendo massacrado na internet. Ela é acusada de ter assassiando o prórpio marido, o pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019.

Na manhã desta terça-feira (18), internautas ficaram indignados e subiram a palavra “assassina” nos assuntos mais comentados do Twitter.

Foto: Reprodução Twitter

Thomas foi até o “Culto de Libertação”, em Campo Grande (MS), para se encontrar com a pastora na noite de segunda-feira (17). “Eu quero ter esse encontro com ela”, afirmou Thomas, em rede social.

O influencer chegou a sair no meio da celebração e continuou para os mais de 5,5 milhão de seguidores: “O louvor dela, a voz dela, é forte. É aquela música que entra e fica no coração”, disse.

Em seguida, ele entrou novamente no templo e ressaltou que queria encontrar com a deputada e pediria orações para ele e para os milhões de seguidores. “Eu vou esperar o culto acabar porque eu quero encontrar com a Flor, eu quero pedir uma oração, para mim, para os meus seguidores”.

Ao se encontrarem, Flordelis logo realizou a benção: “Então que Deus abençoe a sua vida, que Deus abençoe Thomas, os seguidores dele”, disse a pastora.

Após a publicação, Thomas recebeu críticas dos internautas. Um deles, inclusive, lembrou que a pastora condena homossexuais e ataca a comunidade LGBT+. “Tudo o que passa disso, é de procedência maligna”, disse ela, pregando em um culto no ano passado.

“Imagina ser gay e tietar pastora homofóbica e assassina pra ganhar ‘likes’”, disse um internauta. Um outro aproveitou para postar o trecho do vídeo que viralizou na época, em que a pastora condena a homossexualidade.

imagina ser gay e tietar pastora homofobica e assassina pra ganhar likes pic.twitter.com/NnT5W42qZZ

— Henrique 🏳️‍🌈 (@_Henriquegobbo) May 18, 2021
pic.twitter.com/XHRv0coBwa

— lucas🏳️‍🌈🇧🇷🚩 (@lucasafeslo) May 18, 2021
“Esse cara foi até o Projac pra bater na Karol Conká, na época do BBB, e agora está tirando foto com uma assassina homofóbica roubadora de fé. Que vergonha!”, lembrou um usuário da rede social. “Assustado com o tanto de gente tratando uma assassina como celebridade, banalizando a seriedade da situação… A mulher mandou matar o marido, investigada por incesto, promove o ódio aos lgbtq… Continuem dando palco pra maluco, foi assim que elegeram um a presidência”, disse mais um.

Esse cara foi até o projac pra bater na Karol Conká, na época do BBB, e agora está tirando foto com uma assassina homofóbica roubadora de fé. Que vergonha! https://t.co/wSBO8H6zKL

Acusada de assassinato

A pastora é apontada pela Polícia Civil do Rio como a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, na época com 42 anos, em junho de 2019. Ela responde por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, emprego de meio cruel e de recurso que impossibilitou a defesa da vítima), tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada.

De acordo com investigações da polícia, o plano para matar o pastor começou em maio de 2018, com um envenenamento feito de formal gradual e sucessiva. O veneno era colocado na comida do pastor. As investigações do crime chegaram a casos de rachadinha e nepotismo.

Em depoimento no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, Flordelis negou as acusações e alegou injustiça e preconceito. No ano passado, ela chegou a afirmar em programa de televisão que não matou o marido e vai reencontrá-lo no céu.

Em razão da imunidade parlamentar, Flordelis, que só pode ser presa em flagrante por crime inafiançável, cumpre medidas cautelares, sendo monitorada por tornozeleira eletrônica. A deputada e mais nove acusados pela morte do pastor vão enfrentar o júri popular.

Anúncio