A 132 dias do início da Olimpíada de Tóquio, presidente do COI admite adiamento dos jogos

Thomas Bach demonstrou na sexta-feira (13) uma certa dúvida sobre a realização dos Jogos por causa do surto de coronavírus

Brasília – A 132 dias do início dos Jogos Olímpicos de Tóquio, Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), demonstrou na sexta-feira (13) uma certa dúvida sobre a realização dos Jogos por causa do surto de coronavírus.

Anteriormente, o dirigente descartava qualquer possibilidade de adiamento ou cancelamento da Olimpíada, que tem início previsto para 24 de julho. Na última quinta-feira (12), o campeão olímpico de esgrima (florete) por equipes, em Montreal-1976, já não foi tão incisivo. “Seguiremos as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS).”

Presidente demonstrou nesta sexta-feira (13) uma certa dúvida sobre a realização dos Jogos (Foto: Divulgação/COI)

Problemática

O dirigente alemão reconheceu “sérios problemas nos torneios classificatórios”, pois várias competições tiveram de ser adiadas por causa do aumento da propagação da doença e também do número de casos pelo mundo. Bach afirmou que outros torneios qualificatórios para a Olimpíada “estão em perigo”.

“Temos que reagir de uma forma muito flexível”, concluiu o presidente do COI, referindo-se aos critérios a serem adotados nos torneios pré-olímpicos, sem citar modalidades.

Cancelar? Não!

A governadora de Tóquio, Yuriko Koike, garantiu na quinta-feira (12) que o cancelamento da Olimpíada é “impensável”. Ela tem o apoio do primeiro-ministro Shinzo Abe.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sugeriu nesta semana adiar os Jogos para o ano que vem.

Anúncio