Manaus FC empata partida e faz história com tricampeonato

Gavião do Norte quebrou jejum de 20 anos e transformou-se no primeiro tricampeão consecutivo do Amazonas, neste século. A façanha pertencia ao São Raimundo EC, em 97, 98 e 99

Manaus – Título indiscutível em 2019 e um tricampeonato que o faz entrar para a história. É assim que o Manaus Futebol Clube começou a temporada após levantar a taça de campeão amazonense, no sábado (27), ao empatar, sem gols, com o Fast Clube, no estádio Ismael Benigno, a Colina, no bairro São Raimundo, zona oeste da capital.

Gavião do Norte quebrou jejum de 20 anos e transformou-se no primeiro tricampeão consecutivo do Amazonas (Foto: Janailton Falcão/Manaus FC)

No primeiro duelo, o Gavião do Norte já havia vencido por 2 a 0, e poderia sofrer até um simples revés, que não deixaria de levantar a taça. Muito pelo contrário! O Manaus FC entrou em campo com o equilíbrio de todo o Estadual e apenas aguardava os contragolpes para ‘beliscar’ seu oponente durante toda a partida, e quando usava desta estratégia, chegava com muito perigo a meta fastiana. Ao fim do embate e com a conquista, o Gavião do Norte quebrou um jejum de 20 anos e transformou-se no primeiro tricampeão consecutivo do Amazonas, neste século.

Tal feito só havia sido conquistado pelo São Raimundo, o Tufão Colinense, quando levantou os canecos dos certames de 1997, 1998 e 1999.

O Manaus FC tornou-se o quarto time brasileiro a alcançar essa hegemonia, neste ano. Antes dele, o Cuiabá, no Mato-Grossense, o Botafogo, no Paraibano, e o Corinthians, no Paulistão, chegaram a façanha.

O confronto entre os finalistas ainda teve três jogadores expulsos: Juninho e Batata, pelo Tricolor de Aço, além de Patrick Borges, do Manaus. Após o duelo, o treinador campeão, Wellington Fajardo, sublimou o triunfo.

“É um tricampeonato incontestável, sem dúvida. Foram 13 jogos invictos, num campeonato muito equilibrado. Todos estão de parabéns”, comemorou.

Do outro lado, em exclusiva para o GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC), o maestro e capitão do Fast,  Roberto Dinamite, minimizou o vice-campeonato.

“Ficou de bom tamanho. É claro que gostaríamos do título para coroar nossa campanha. Entretanto, ficou de bom tamanho porque todas as equipes corriam por um calendário e conseguimos isso. Então, o objetivo maior, que era o calendário cheio em 2020, está garantido”, falou o jogador.

Agora é virar a chave, pois os representantes amazonenses voltam suas atenções para a disputa da Série D do Campeonato Brasileiro.

O Manaus vai ao Amapá, no sábado (4), às 15h (de Manaus), encarar o Santos, em partida válida pelá primeira rodada do Grupo A2.

Já o Fast Clube integra o Grupo A1 e estreia em casa contra o São Raimundo-RR no dia 7 de maio, às 20h (Manaus), no estádio da Colina. Esta partida, inclusive, já sofreu uma alteração. Anteriormente, estava programada para ocorrer no dia 4 de maio. Porém, a diretoria do Fast entrou com pedido junto a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) pela transferência da partida para o dia 07, pois, no mesmo dia, Vasco e Corinthians duelam em Manaus, pela terceira rodada do Brasileirão, na Arena da Amazônia.

Anúncio