Anderson Silva confirma saída do MMA e já tem luta agendada no boxe: ‘Agora só quero curtir’

Lutador de 46 anos não conseguiu retomar mesmo nível competitivo desde lesão grave em 2013

São Paulo – O lutador Anderson Silva anunciou que não voltará a competir no MMA (sigla em inglês para Artes Marciais Mistas). Em entrevista ao programa Ariel Helwani’s MMA Show, o paulistano confirmou que não mais atuará no esporte e que pretende migrar para o boxe ou jiu-jitsu profissionais.

Anderson Silva já tem na agenda compromisso marcado com o boxe. No dia 19 de junho, enfrentará o pugilista mexicano Julio Cesar Chavez Jr, em Guadalajara. O evento terá transmissão por uma plataforma de streaming e deverá contar com Gusttavo Lima cantando o hino nacional. O lutador brasileiro revelou ter recebido diversos convites para seguir lutando no continente asiático, mas a quantidade de lutas o desentusiasmou a seguir carreira por lá.

Anderson Silva é considerado um dos maiores da história do UFC (Foto: Divulgação / UFC)

“Logo após a luta contra Uriah Hall, eu fui para o vestiário e começaram a me ligar para lutar no Japão. Eu precisava descansar, mas todos os dias muitos eventos, especialmente no Japão e do resto da Ásia, me ligavam. Mas eu não vou mais lutar MMA, porque é duro treinar para o MMA, é difícil fazer um camp em alto nível, você se machuca muito. Agora eu só quero curtir. Não preciso provar mais nada para ninguém”, iniciou Anderson Silva, que ainda comentou os fatos seguintes à sua derrota no octógono para o lutador jamaicano.

“Eu aceitei a luta contra Uriah Hall e algumas coisas aconteceram nos bastidores. Todo mundo sabe o que estava acontecendo, não preciso ficar falando. Não coloco mais pressão no meu corpo nem na minha mente, pensando em lutar novamente. Só tenho que agradecer a Deus por poder lutar e poder ajudar meu filho Gabriel a treinar”, explicou.

Aos 46 anos, o ex-campeão peso-médio pretende se especializar em mais artes marciais e, por isso, pretende lutar em algumas delas e ter mais propriedade para descrever e explicar determinados movimentos do esporte. Sobre o UFC e a maneira como saiu da competição, Anderson preferiu negar quaisquer rusgas.

“Eu me sinto feliz porque fiz o meu melhor e dei o meu coração pelo UFC. Eu me lembro de Lorenzo Fertitta me dizer uma vez que aquilo era uma família e era importante estar perto da família. E em todas as minhas lutas no UFC eu coloquei o meu coração nelas, porque eu sentia que era a minha família. Mas chegou a hora de mudar. Não tenho nada para falar do UFC”, finalizou.

Anúncio