Brasil com chances de pódio na areia

Alison contou que a dupla não tem acompanhado os outros confrontos do vôlei de praia e fez uma breve análise do estilo de jogo dos rivais da próxima fase

Tóquio – O Brasil colocou mais uma dupla nas quartas de final do vôlei de praia dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Alison e Álvaro Filho derrotaram ontem (2) os mexicanos Caxiola e Rubio por 2 sets a 0 – com parciais de 21/14 e 21/13 – e se juntaram a Ana Patrícia e Rebecca, também nas quartas do torneio. A dupla volta à quadra amanhã (4) em busca de um lugar nas semifinais. Os adversários serão Plavins e Tocs, da Letônia, responsáveis pela eliminação dos brasileiros Bruno Schmidt e Evandro.

Foto: Wander Roberto/COB

“Estamos nos sentindo bem. Jogamos contra um time forte, que estava num grupo forte. Nós estudamos muito o time deles, mas nunca havíamos jogado contra eles. Mas eles sabiam o que fazer contra a gente. Colocamos muita energia nesse jogo o tempo todo porque agora todo jogo é uma final. O placar não mostra o que é o time do México, ficamos o tempo todo concentrados e botando nossa energia na quadra. A gente sempre busca performar dessa forma, dando nosso melhor”, afirmou Álvaro Filho.

Alison contou que a dupla não tem acompanhado os outros confrontos do vôlei de praia e fez uma breve análise do estilo de jogo dos rivais da próxima fase.

“A Letônia tem Plavins, medalhista de bronze, ele defende muito bem. O Tocs é um bloqueador que tem um tempo de bloqueio diferente, parece um polvo. A gente jogou contra eles em 2019, há muito tempo. Não vimos a última partida deles, mas a gente não está assistindo ao vôlei de praia. Vimos o handebol, ficamos chateados, nos encontramos com as meninas, vimos natação. Se eu ficar assistindo ao vôlei toda hora, eu e ele, que somos fominhas, vamos querer aquecer e jogar.

Precisamos desligar um pouco o cérebro”, explicou o campeão olímpico no Rio-2016.

Adeus de Evandro e Schmidt

O Brasil sofreu mais uma dura eliminação no vôlei de praia, em Tóquio. Na madrugada de ontem, Evandro e Bruno Schmidt foram superados pelos letões Martins Plavins e Edgars Tocs por 2 sets a 0, com parciais de 21/19 e 21/18, em 49 minutos.

No domingo (1º), Ágatha e Duda caíram na chave feminina, também pelas oitavas.
Evandro e Bruno, dupla número 31º do ranking mundial, vinham embalados em Tóquio. Lideraram o Grupo E, com três vitórias na fase anterior. Era a única dupla brasileira em Tóquio que ainda não havia sido derrotada. Mas, contra os letões (32º do ranking), em jogo que começou com sol e terminou com chuva, não conseguiram repetir as boas atuações.

Bruno é o atual campeão olímpico – levou o ouro no Rio-2016 ao lado de Alison. Evandro lamentou a queda. “Queria jogar mais esse torneio. Estava muito gostoso. O mundo todo prestigiando. Mas paciência. Saio daqui com a sensação de que queria ter mais longe”, concluiu.

Anúncio