Brusque cala Arena e leva título da Série D

Manaus FC saiu atrás, virou o jogo e esbarrou nas próprias pernas ao ser derrotado nas penalidades por 6 a 5

Manaus – Na disputa do título da Série D do Campeonato Brasileiro, o Brusque-SC levou a melhor. Após empatar em 2 a 2 outra vez (as equipes já haviam empatado com o mesmo placar na partida de ida), o resultado foi decidido nos pênaltis. Nas cobranças, o time catarinense venceu por 6 a 5 e assegurou a taça. A partida ocorreu neste domingo (18), na Arena da Amazônia, zona centro-oeste de Manaus.

No gramado, os 44.896 torcedores que estiveram no consagrado palco de Copa do Mundo superaram o público de Flamengo e Vasco, pela semifinal do Campeonato Carioca de 2016, quando contou com 44.419 presentes.

O jogo

Apesar do apoio da torcida, os ocupantes da arquibancada começaram a tarde tomando um banho de água fria logo aos 2 minutos, quando Junior Pirambu abriu o placar, de calcanhar (e de costas para o gol), apos uma tentativa frustrada da zaga do Gavião do Norte de afastar a bola. Apesar do gol inicial, o Manaus assimilou o golpe e aos sete minutos empatou. Panda levantou bola na área, Derlan escorou de cabeça e Sávio chutou para dentro do gol, deixando o placar em 1 a 1. Na etapa final, foram 50 minutos de muita emoção, e logo aos 13 minutos veio o gol da virada. Após escanteio cobrado por Evair, Mateus Oliveira se antecipou à zaga quadricolor e cabeceou firme, sem chances para o goleiro Zé Carlos.

Com o resultado, o Manaus passou a dar espaço aos visitantes que começaram a gostar do jogo. E, após as alterações do técnico Waguinho Dias, o Brusque empatou a partida aos 36 minutos. Leilson ganhou pela esquerda e cruzou para a área, Thiago Henrique pegou a sobra e encontrou Thiago Alagoano, livre, para marcar o gol de empate.

Após o empate, o Esmeraldino Manauara tentou reagir, mas as alterações dos visitantes surtiram mais efeito e o Brusque passou a dominar a partida na reta final do jogo. Nas cobranças de pênaltis, o Manaus converteu as cinco primeiras cobranças. Nas alternadas, Marcio Passos desperdiçou e o goleiro Zé Carlos, pelo lado dos catarinenses, marcou o gol do título, para a festa dos jogadores quadricolor, na Arena da Amazônia.