Caso Daniel Alves: tatuagem íntima contribuiu para prisão do jogador

Daniel Alves, acusado de agressão sexual contra uma mulher de 23 anos, está preso na Espanha

Espanha – Uma tatuagem íntima ajudou a levar a prisão preventiva de Daniel Alves, acusado de agressão sexual em Barcelona, na Espanha. A vítima descreveu que o jogador tinha uma tatuagem de meia-lua entre o abdome e a região genital. As informações são do jornal espanhol El Mundo.

   Tatuagem íntima contribuiu para prisão preventiva do jogador Daniel Alves (Foto: Reprodução – Instagram @danialves)

Daniel Alves está preso desde a última sexta-feira (20). Ele nega as acusações de agressão sexual contra a mulher, não identificada, 23, mas o jogador apresentou versões diferentes em depoimentos: primeiro disse que não houve contato e depois que houve sexo consensual.

O episódio de agressão sexual teria ocorrido na madrugada do dia 30 para 31 de dezembro de 2022, na casa noturna Sutton, localizada em Barcelona, na Espanha. Segundo o depoimento da vítima, Daniel Alves flertou com ela e outras duas amigas. O brasileiro teria agarrado a mão da vítima e levou-a ao pênis, repetindo o gesto repetidas vezes, apesar de a jovem resistir.

O El Mundo informou que a vítima descreveu em depoimentos a tatuagem de uma meia-lua do jogador. Ela afirmou, segundo o jornal, que conseguiu ver a tatuagem no momento em que o lateral a trancou no banheiro de uma boate e a obrigou a fazer sexo oral.

A Unidade Central de Agressões Sexuais (UCAS )assumiu uma investigação que revisou as câmeras de segurança da boate. As imagens mostram o jogador e a vítima ficaram cerca de 15 minutos dentro do banheiro da área VIP do local. Entre as provas colhidas, foi encontrado sêmen, que exames de DNA vão indicar se pertencem de fato a Daniel.

Anúncio