Clima olímpico: tênis de atletas viram queridinhos do streetstyle

Confira a história dos modelos favoritos dos atletas que ganharam o coração de quem ama moda e estilo

São Paulo – Não é de hoje que acessórios e uniformes podem sair das quadras direto para as ruas, seja por causa do conforto, seja pelo estilo. É o caso de vários modelos de tênis que, inicialmente, eram usados apenas por atletas e acabaram ganhando os pés de muitos fashionistas. Impossível falar de tênis sem citar em primeiro lugar o Nike Air Jordan. Em 1984, a Nike escolheu o então novato Michael Jordan como garoto propaganda.

O sucesso foi imediato e, pouco tempo depois, a NBA proibiu o astro de usá-lo nos jogos por quebrar a padronização de cores imposta no regulamento (os calçados deveriam ser brancos). No entanto, a Nike optou por pagar as multas, e essa se provaria uma incrível estratégia de propaganda, pois a parceria é a de maior sucesso já vista no ramo. Só em 2019, Jordan gerou uma receita de mais de US$ 3 bilhões (cerca de R$ 18 bilhões) para a Nike.

Clima olímpico: tênis de atletas viram queridinhos do streetstyle. (Foto: Divulgação/Nike)

Na verdade, o primeiro modelo que saiu das quadras de basquete para os pés das pessoas foi o bom e velho Converse. A história é bem parecida com a de Jordan, mas, no caso, o atleta Chuck Taylor, que jogava pelo time All Star, foi escolhido pela sua fama, nascendo assim um dos maiores clássicos do street style.

Eis aqui o primeiro par de All Star Chuck Taylor. Quem diria que o bom e velho Converse viraria queridinho de tantas fashionistas a ponto de se tornar até calçado para noivas, como Sasha e Gretchen, que usaram All Star brancos no dia do sim.

Apesar de serem as mulheres as maiores representantes da moda, combinando os calçados com roupas incríveis, inicialmente todos os tênis eram pensados exclusivamente para os homens, sem disponibilidade de numerações menores que coubessem em mulheres. Tentando mudar isso, surge o Reebok Freestyle cujo lançamento foi um estrondoso sucesso desde o primeiro instante, com 32 mil pares vendidos em uma semana.

O Adidas Stan Smith, também batizado com o nome de um atleta, ganhou força nos Estados Unidos ao ser associado ao jogador de tênis que havia sido campeão de Wimbledon nos anos 1970. A estratégia da empresa, que realmente buscava ingressar no mercado norte-americano, se mostrou super acertada, visto que já são mais de 50 milhões de pares vendidos.

O Puma Suede tem nada menos do que 53 anos e apesar de ter sido criado para o basquete, foi na prova de atletismo durante os Jogos Olímpicos da Cidade do México que ele se tornou referência. O velocista americano Tommie Smith quebrou o recorde mundial dos 200 metros rasos e recebeu sua medalha descalço no pódio com um gesto em homenagem ao movimento Black Power.

O Nike Cortez é referência no mundo dos esportes e até aparece no filme Forrest Gump. Criado em 1972 pelo treinador de atletismo Bill Bowerman (que depois viria a se tornar o criador da Nike), é próprio para corridas. Na época, ele apresentava o diferencial de ter a parte amortecedora de impacto à mostra no calcanhar.

O terceiro tênis lançado pensando nos jogadores de basquete foi o Adidas Superstar. A famosa ponteira da frente (chamada de concha) e as três listras são as características mais marcantes do modelo. Além da propaganda feita por meio dos esportistas, o grupo de rap RUN DMC lançou uma música chamada My Adidas, alavancando novamente as vendas do calçado.

Anúncio