Diniz vira chave após título e convoca seleção brasileira para jogos

Treinador volta suas atenções para os confrontos contra Colômbia e Argentina

São Paulo – Campeão da Libertadores com o Fluminense, Fernando Diniz vira a chave nesta segunda-feira (6) e convoca a seleção brasileira para os duelos contra Colômbia e Argentina, pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo.

(Foto: Vitor Silva / CBF)

Terceiro colocado na tabela, o Brasil viaja para Barranquilla para encarar os colombianos no estádio Metropolitano Roberto Melendez, no próximo dia 16, às 21h (de Brasília). Já o duelo com os argentinos será no Maracanã, no dia 21, às 21h30 (de Brasília).

O Brasil vem de empate em 1 a 1 com a Venezuela em casa e derrota por 2 a 0 para o Uruguai. De quebra, além de perder para a seleção de Marcelo Bielsa, Diniz teve a baixa de seu principal jogador: Neymar.

O camisa 10 do Al-Hilal rompeu o ligamento cruzado anterior e os meniscos do joelho esquerdo, ainda no primeiro tempo do confronto, e só deve voltar aos gramados na metade de 2024.

Quem pode ser lembrado do futebol brasileiro?

Com o título da Libertadores confirmado, o zagueiro Nino e o volante André, do Fluminense, devem ser mantidos na convocação. Outro nome de destaque do futebol brasileiro que vem ganhando coro para ser chamado é o atacante Marcos Leonardo, do Santos, um dos artilheiros do Brasileirão 2023, com 13 gols.

Além deles, Tiquinho Soares, destaque do líder Botafogo e artilheiro da competição, com 15 gols, pode ser lembrado, assim como Paulinho, do Atlético-MG, que tem brilhado no segundo turno. No gol, Bento, do Athletico-PR, e Lucas Perri, do Botafogo, brigam pela terceira vaga da posição.

Histórico favorável

Pelas Eliminatórias, Brasil e Colômbia já se enfrentaram em 14 oportunidades, e a pentacampeã do mundo jamais foi derrotada pelos colombianos ao longo da história. Ao todo, são sete vitórias da seleção brasileira e sete empates, com 21 gols marcados e apenas cinco sofridos.

Já contra a Argentina, o duelo é mais equilibrado. Em nove partidas realizadas contra os hermanos, o Brasil soma quatro vitórias, três empates e duas derrotas, com 15 gols marcados e nove sofridos.

Anúncio