Ex-Flamengo está preso em guerra no Sudão e companheira pede ajuda

Após defender o Santo André no Paulistão, Paulo Sérgio viajou com um grupo de brasileiros para jogar no clube sudanês Al Merreikh

Cartum – O ex-Flamengo Paulo Sérgio está preso em Cartum, no Sudão, e busca ajuda do governo do Brasil para retornar ao país e fugir da guerra que iniciou no norte da África. Além dele, estão outros três jogadores e cinco mebros da comissão técnica do clube sudanês Al Merreikh. Todos os brasileiros estão trancados juntos no prédio onde moram, para fugir da rotina de bombas.

(Foto: Reprodução /Instagram /almerrikh08)

O jogador afirma que o governo brasileiro e o Itamaraty não têm dado a devida atenção para o conflito armado. Ele ainda menciona que não foi informado sobre qualquer plano de retirada dos brasileiros do Sudão.

Por conta dos inúmeros bombardeiros que acontecem na capital Cartum, Paulo Sérgio não consegue sair do local onde está resguardado com os companheiros de equipe. O atacante, que atuou pelo Santo André no Paulistão 2023, explica que já faltam itens básicos e a comida está escassa.

Do Brasil, a companheira de Paulo Sérgio, Blanca Bullos, se pronunciou em nome de todos os familiares do jogador e fez um apelo ao Itamaraty, para que resgatem os atletas. Ela está com a filha do casal, de 6 anos, e mantém contato com o esposo via internet, que está instável.

O conflito armado entre paramilitares e forças do governo sudanês começou no último sábado (15). No dia, foram relatados os primeiros bombardeiros. A guerra foi iniciada após uma ruptura entre o Exército e os paramilitares das Forças de Apoio Rápido (RSF).

Ainda em 2021, os dois grupos se uniram para dar um golpe e tirar os civis do poder. Após a ruptura, os diferentes grupos brigam pelo poder e controle do Sudão. Ao todo, mais de 200 pessoas morreram e 1,8 mil estão feridas. Médicos do país africano relataram que estão sem bolsas de sangue e materiais de saúde para cuidar dos feridos.

Anúncio