Após gol polêmico, Paysandu pede anulação de partida contra Manaus FC

Paysandu argumenta “erro de direito” da arbitragem ao assinalar gol em que a bola não entrou no empate entre as equipes pela Copa Verde, na quarta-feira (3)

São Paulo – O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) anunciou que o Paysandu entrou com ação para anular a partida de ida do confronto com o Manaus, realizada na última quarta-feira (3), no estádio Bezerrão, no Gama (DF), pelas quartas de final da Copa Verde de 2020. O duelo terminou empatado em 1 a 1. Segundo o STJD, o pedido paraense, recebido na última sexta-feira (5), alega que a arbitragem “cometeu um erro de direito ao marcar um gol inexistente” do time do Amazonas. À Agência Brasil, a assessoria de imprensa do clube manauara informou que a instituição “vai se pronunciar em momento oportuno”.blank

A polêmica ocorreu aos 26 minutos do segundo tempo, quando o Papão vencia por 1 a 0. O atacante Jackie Chan, do Manaus, recebeu a bola na esquerda e finalizou de fora da área. A bola bateu no travessão e quicou fora do gol. O auxiliar Paulo Cesar Ferreira de Almeida, porém, entendeu que a bola havia entrado e o árbitro Eduardo Tomaz de Aquino Valadão validou o lance. No jogo de volta, disputado no último domingo (7), o Gavião venceu por 2 a 1 no estádio Mangueirão, em Belém, e se classificou à semifinal para enfrentar o Remo.

blank

Após gol polêmico, Paysandu pede anulação de partida contra Manaus FC (Foto: © Fernando Torres / Manaus FC)

“Ao ver do impugnante, configurada a ocorrência de um erro de direito, pois, estando o árbitro DE FRENTE para o lance, há que se questionar se é razoável que o mesmo tenha visto a bola ultrapassar por completo a linha do gol, apesar de nenhum dos outros personagens presentes em campo ter feito a mesma, ERRÔNEA, interpretação. O erro de direito no futebol se dá quando um juiz mostra total desconhecimento das regras ou as aplica de maneira equivocada, e é justamente o caso de um árbitro que não sabe que a bola precisa transpor completamente a linha de meta para que o gol seja marcado”, destaca o pedido do Paysandu, segundo o STJD.

Anúncio