Da carência do interior para o sonho de jogar em Manaus

Pela primeira vez na capital do Amazonas, crianças do município de Japurá se emocionaram em conhecer a estrutura do Estádio da Colina para disputar o torneio amador da Copa dos Campeões

Manaus – Pelo terceiro ano consecutivo, o projeto social Atletas com Cristo promoveu a terceira Copa dos Campeões, na última quinta-feira, no Estádio da Colina. O torneio reuniu mais de 400 crianças e adolescentes dos 12 núcleos do programa no interior do Amazonas, além da capital. E pela primeira vez participando do evento, crianças do município de Japurá, que fica a 743,95 quilômetros de distância em linha reta de Manaus, conheceram um estádio de futebol.

Deslumbre Com idade entre 5 e 7 anos, jovens de Japurá ficaram encantados com o gramado da Colina. (Foto: Arquivo Pessoal)

Com idade entre 5 e 7 anos, a delegação japuraense é formada por 28 jovens, tantos meninos quanto meninas. A viagem de barco do município até a capital do Amazonas foi custeada pela Prefeitura de Japurá com o suporte do projeto dos Atletas.

E acompanhado dos responsáveis, o grupo de atletas viveu uma verdadeira aventura para chegar a Manaus. Eles tiveram que encarar uma viagem longa e cansativa de seis dias e 13 horas dentro do barco, subindo o Rio Japurá.

Mesmo com toda a dificuldade, a chegada a Manaus foi uma verdadeira emoção entre pais e jogadores, segundo o coordenador dos Atletas com Cristo, Lúcio Silva. “Em dois anos de projeto na cidade, esta foi a primeira vez que conseguimos trazê-los para cá, muitos deles nunca vieram para a capital e ficaram emocionados ao ver a cidade”, disse.

Para o técnico da delegação de Japurá, Edivan Costa, a viagem serviu como incentivo aos atletas a continuarem no projeto. Mas para o treinador também ajudou na aprendizagem ao comprovar que pequenos gestos podem se transformar em lembranças inesquecíveis.

“O que me marcou foi ver a emoção dessas crianças na chegada ao Estádio da Colina. Lá em Japurá, o campo é todo esburacado, com mato e barro preto. Eles não faziam a mínima ideia de como era um campo de futebol. Quando viram a grama da Colina, a primeira coisa que fizeram foi deitar e rolar nela. O aquecimento ficou para depois”, revelou Costa, emocionado.

Toda criança que ama o futebol tem o sonho de um dia de se profissionalizar. Isso não é diferente com Venâncio Morais da Silva, 14, que planeja vir para Manaus e jogar em uma equipe profissional. “Meu sonho é morar aqui (em Manaus) e poder viver do futebol. Poder representar bem o nosso Estado”, disse o jovem.

Venâncio não conseguiu esconder a felicidade de quando pisou no gramado da Colina, já que foi a primeira vez em um estádio. “É muito diferente de tudo que imaginei. O campo é grande e a grama muito macia. Não temos nada parecido lá em Japurá. Quando olhei a arquibancada imaginei como deve ser ela cheia de gente, torcendo por um time. Na verdade, deve ser bem mais empolgante do que imagino”, disse o atacante, visivelmente emocionado.

Para o pai de Venâncio, o comerciante Arivaldo da Silva, 40, poder compartilhar o momento da realização do sonho de um filho é algo sem explicação. “A felicidade de um pai é ver seu filho feliz. Logo depois que ele jogou a partida, ele me agradeceu e disse que queria se tornar um jogador de futebol. Eu só tenho a agradecer os Atletas com Cristo, se não fosse por eles, talvez meu filho nunca conhecesse um estádio, muito menos jogaria em um campo oficial”, revelou Arivaldo.

A delegação de Japurá, que chegou a Manaus no mesmo dia do torneio amador do projeto Atletas com Cristo, na quinta-feira passada, ficou na capital até o sábado (8), quando embarcou de volta para terra natal. O grupo do interior ficou hospedado em um sítio do projeto, no bairro Tarumã, na zona oeste da cidade.

Anúncio