Em meio à guerra, 30 jogadores brasileiros já deixaram a Ucrânia

O número de atletas que acabaram deixando a Ucrânia é relativamente expressivo

São Paulo – Antes da invasão da Rússia à Ucrânia, diversos jogadores brasileiros atuavam em solo ucraniano. No entanto, com a guerra em andamento, muitas atividades foram paralisadas, dentre elas o futebol, levando muitos atletas a deixarem o país. Enquanto os sites de apostas aguardam o retorno do Campeonato Ucraniano, confira abaixo a lista atualizada de jogadores que foram embora da Ucrânia.

Em meio à guerra, 30 jogadores brasileiros já deixaram a Ucrânia (Foto: Rodrigo Coca / Agência Corinthians)

Jogadores brasileiros da 1ª divisão já deixaram o país

O número de atletas que acabaram deixando o país é relativamente expressivo, levando em consideração que 10 dos 16 clubes que disputam a Premier League Ucraniana contam com brasileiros. Á exemplo de Junior Moraes, brasileiro naturalizado que estreou no Timão em março de 2022.

Para deixar o país, os craques se organizaram por meio de grupos, principalmente entre os jogadores de Shakhtar Donetsk e Dínamo de Kiev, clubes que contam com o maior número de brasileiros nos respectivos elencos. Nesse caso, eles compartilhavam o mesmo hotel na região central de Kiev até saírem em comboio até a estação mais próxima.

Já o meio-campista Fabinho, Derek e Marylson, do Metalist, e João William, do Inhulets Petrove, também deixaram o país no último mês com destino à fronteira com a Polônia. De lá, eles seguiram para Portugal até desembarcar no Brasil.

Abaixo, confira a lista de jogadores brasileiros por clube que já deixaram a Ucrânia, segundo levantamento da UOL:

  • Shakhtar Donetsk: Marlon Santos (zagueiro), Vitão (zagueiro), Dodô (lateral), Vinicius Tobias (lateral), Ismailly (lateral), Marcos Antônio (meio-campista), Maycon (meio-campista), David Neres (atacante), Tetê (atacante), Pedrinho (atacante), Fernando (atacante) e Júnior Moraes (atacante e naturalizado ucraniano).
  • Dínamo de Kiev: Vitinho (atacante).
  • Vorskla Poltava: Lucas Rangel (atacante).
  • Kolos Kovalivka: Diego Carioca (atacante) e Renan Oliveira (atacante).
  • Rukh Lviv: Talles (meio-campista) e Edson (meio-campista).
  • Dnipro: Gabriel Busanello (lateral), Felipe Pires (atacante) e Bill (atacante).
  • Zorya Luhansk: Juninho (lateral), Guilherme Smith (atacante) e Cristian (atacante).
  • FK Metalist: Marylson (atacante), Fabinho (meio-campista) e Derek (atacante).
  • Chornomorets: Wanderson Maranhão (meio-campista).
  • PFK Lviv: Welves (atacante).
  • Inhulets Petrove: William (zagueiro).

Maycon e Junior Moraes já integram elenco do Corinthians

A paralisação do futebol ucraniano por conta da guerra acabou por se mostrar um cenário de oportunidades para outras competições ao redor do mundo, principalmente o futebol brasileiro. Afinal, muitos atletas, além da necessidade de se protegerem e estarem próximos de seus familiares, têm o desejo de seguir na ativa. São os casos do meio-campista Maycon e do centroavante Júnior Moraes.

Identificado com o Timão, Maycon acertou seu retorno ao clube paulista por empréstimo até 31 de dezembro de 2022. Desde que retornou ao Corinthians, o meio-campista atuou em quatro partidas, sendo duas pelo Brasileirão e duas pela Libertadores. Como oportunidade de mercado, o Timão também acertou a contratação de Junior Moraes, também do Shakhtar Donetsk, para ocupar a vaga como centroavante.

Shakhtar é o time ucraniano que mais contratou brasileiros

Não foi por acaso que o Shakhtar Donetsk ganhou o apelido de time mais brasileiro da Europa. Afinal, em 20 anos, o clube ucraniao contratou 38 atletas brasileiros e gastou cerca de R$ 1,5 bi ao todo — mais do que qualquer outra equipe minimamente relevante da Europa.

A aposta em jogadores brasileiros se mostrou assertiva a longo prazo, uma vez que o clube alcançou 12 títulos ucranianos a partir dos anos 2000 — antes, como efeito de comparação, o Shakhtar havia conquistado a liga nacional uma única vez. Além disso, a equipe venceu a Liga Europa na temporada 2008/09 e alcançou constantes participações na Uefa Champions League.

Por contratar tantos brasileiros, o Shakhtar, naturalmente, fez grandes negócios ao longo dos anos. As principais vendas para clubes relevantes do cenário internacional carregam nomes como Fred, hoje no Manchester United, Fernandinho, no City, e Douglas Costa. Das contratações mais caras na história do clube estão Bernard, Pedrinho e Taison. Em números, no entanto, a equipe investiu mais (276,1 milhões de euros) em jogadores brasileiros do que faturou (266,1 milhões de euros).

Anúncio