Fast Clube anuncia lateral direito, ex-São Paulo

Atleta jogou na série A do Campeonato Brasileiro pelo São Paulo e Botafogo e em 2018, foi campeão brasileiro de aspirantes pelo tricolor paulista

Manaus – Com passagens por São Paulo e Botafogo, lateral-direito Régis, 31 anos, foi anunciado pelo Fast Clube nesta quinta-feira (26), como mais novo reforço para sequência da série D do Campeonato Brasileiro, onde a equipe lidera o grupo A da competição e já está classificada para a próxima fase.

(Foto: Morgana Oliveira/ASCOM CSA)

O lateral jogou na série A do Campeonato Brasileiro pelo São Paulo e Botafogo e em 2018, foi campeão brasileiro de aspirantes pelo tricolor paulista. No ano passado foi contratado pelo CSA-AL para disputar a série A, mas foi dispensando antes da cometição. O atleta também teve passagens por São Bento-SP, Bahia-BA, Gama-DF, Red Bull-SP, Ponte Preta-SP, Paysandu-PA, e Goiás-GO. Seu último clube foi o União Cacoalense-RO, onde disputou o Campeonato Rondoniense.

O atleta já desembarcou em Manaus e fará seu primeiro treinamento com a equipe nesta quinta-feira à tarde, no Estádio Ismael Benigno. O próximo adversário do Rolo Compressor vai ser o Galvez (AC), no próximo sábado (28), pela última rodada da primeira fase da série D.

Nascido em Brasília, O jogador marcou sua carreira com problemas extracampo, como casos de indisciplinas e a luta contra a dependência química. Em 2018, quando atuava pelo São Paulo, foi afastado duas vezes por problemas pessoais e no terceiro caso, teve o contrato rescindido.

Após sair do time paulista, Régis retornou a capital federal e foi preso pela polícia militar por suposta tentativa de invasão ao apartamento de um vizinho. Regis chegou a dizer que sofria com problemas com drogas, mas negou vício e o crime de tentativa de invasão a domicílio.

Em 2019 ele foi contratado pelo CSA, para disputar a Série A do Campeonato Brasileiro, mas foi desligado do clube após oito partidas. Segundo o clube, ele foi dispensado após se envolver em uma confusão em um motel de Maceió (AL). O jogador foi detido pela polícia, levado a delegacia e após ter assinado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), foi liberado.

No mesmo ano, foi disputar a Série B pelo São Bento (SP) e passou pouco tempo no clube paulista. Após duas semanas de sua apresentação, foi preso por porte de drogas e embriaguez ao volante. Ainda passou por um processo de desintoxicação em uma casa de reabilitação de Sorocaba, interior de São Paulo, contra o vício em álcool e cocaína, mas abandonou o tratamento e não atendeu as ligações do clube.

Anúncio