Governo flexibiliza portaria e libera jogadores brasileiros que atuam na Inglaterra

Medida torna sem efeito o pedido de excepcionalidade da CBF para a entrada no País dos nove atletas que jogam no Campeonato Inglês

São Paulo – O Governo Federal flexibilizou, em portaria publicada na noite de terça-feira (5), as regras de entrada de estrangeiros no país. Além de ter eliminado a proibição de voos que tenham origem no Reino Unido, África do Sul e Índia, a norma segue sem incluir a exigência de comprovante de vacinação para ingresso em território brasileiro – na contramão de outros governos. As alterações nas regras foram divulgadas em edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

Alisson e mais oito brasileiros que atuam no futebol inglês não puderam participar dos últimos jogos da Seleção brasileira (Foto: Liverpool / Reprodução)

A vedação de voos provenientes do Reino Unido estava em vigor desde dezembro de 2020, após o governo local ter identificado nova mutação do novo coronavírus com maior risco de contágio: a Delta. A inclusão de África do Sul e Índia foi feita posteriormente, pelos mesmos motivos. Atualmente essa cepa já circula amplamente pelo Brasil.

A atualização da portaria também revogou a proibição de entrada no Brasil de estrangeiro com passagem por esses países nos últimos 14 dias.

A medida torna sem efeito o pedido de excepcionalidade da CBF para a entrada dos nove jogadores brasileiros que atuam no futebol da Inglaterra – o último convocado é o volante Douglas Luiz, do Aston Villa – e atende também a Edison Cavani, atacante do Uruguai e do Manchester United. O jogo entre Brasil e Uruguai será realizado no próximo dia 14, em Manaus.

A CBF havia enviado para o Governo Federal no dia 17 de setembro um pedido especial para a liberação dos jogadores brasileiros que atuam no futebol inglês e de Cavani. O procedimento visava não haver qualquer problema na chegada desses atletas para disputar a partida. Nem exigência de quarentena, o que justamente causou, por fim, a suspensão de Brasil x Argentina, em setembro, em São Paulo.

Quatro jogadores argentinos que atuam na Inglaterra entraram no país sem comunicar passagem anterior no Reino Unido, o que desrespeitou as normas brasileiras. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) notificou os argentinos e, depois, foi a campo para interromper o clássico sul-americano.

Anúncio