Justiça irá julgar Fast Clube por confusão em jogo contra o Manaus FC

Ontem (24), torcedores entraram em confronto com a arbitragem e a torcida do Gavião do Norte após a expulsão de zagueiro. Se condenado, o Tricolor pode cumprir o jogo de volta das semifinais do Estadual longe de Manaus

Diogo Rocha / vencer@diarioam.com.br

Briga generalizada teve que ser contida pela Polícia Militar. Foto: Eraldo Lopes

Manaus – Na próxima segunda-feira (29), o Tribunal de Justiça Desportiva do Amazonas (TJD-AM) irá julgar o Fast Clube pela confusão, ocorrida no jogo contra o Manaus FC, na última quarta-feira (24), no Estádio Carlos Zamith, no Coroado, zona leste. Se condenado, o Tricolor pode perder o mando de campo e cumprir o jogo de volta das semifinais do Campeonato Amazonense longe de Manaus.

Com base na súmula da tensa partida e das notícias na imprensa, o procurador da 2ª Comissão Disciplinar do TJD-AM, Bruno Glória, deve enquadrar o Fast em no mínimo três artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). Um dos artigos utilizados será o 213, que se refere à ‘deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir (I) desordens em sua praça de desporto; (II) invasão do campo ou local da disputa do evento desportivo e (III) lançamento de objetos no campo ou local da disputa do evento desportivo’. As penas são multas de R$ 100 a R$ 100 mil.

Na denúncia que será encaminhada ao TJD-AM, o procurador solicitará como punições ao Fast a suspensão de dirigentes do clube envolvidos na confusão, o pagamento de multas e perda do mando de campo para a segunda partida das semifinais do Estadual. O jogo de volta está previsto para a próxima quinta-feira (1º), na Arena da Amazônia, em Manaus.

“Vou pedir como pena o mando do Fast ficar a 100 quilômetros de distância de Manaus, onde fica a sede do clube”, explicou Bruno Glória, ao informar que a 2ª Comissão Disciplinar do TJD julgará o Fast, em sessão que começa às 17h, de segunda-feira (29).

Assista a momentos da confusão na noite de ontem:

 

Relatório

Na conturbada partida diante do Manaus FC, aos 37 minutos do segundo tempo, o Fast Clube já perdia por 2 a 0, quando jogadores, dirigentes e torcedores do clube entraram em confronto com a arbitragem e a torcida do Gavião do Norte após a expulsão do zagueiro Thiago Brandão. E até a briga generalizada ser contida pela Polícia Militar, o jogo ficou paralisado por 15 minutos.

Mas antes da troca de ofensas, agressões, invasão de campo por dirigentes do Fast, arremessos de objetos ao campo pelas torcidas nas arquibancadas, o volante Augusto, do Tricolor, foi expulso no início do segundo tempo. E depois do tumulto ser apaziguado, o meia Tiago Amazonense, do Manaus FC, também recebeu cartão vermelho.

O árbitro Luizinho de Souza Lima relatou na súmula ter sofrido ofensas e ‘empurrões’ de jogadores e dirigentes do Rolo Compressor. Ele detalhou as condições da expulsão de Thiago Brandão, que após receber um cartão amarelo reclamou: ‘Expulsa logo filho da p…’, ‘você tá roubando nosso time, seu ladrão’. Ainda conforme a súmula, Brandão empurrou no peito duas vezes o árbitro ao levar o cartão vermelho e disse ‘tu vai se fud… seu filho da p…’.

No relatório anexo à súmula, o árbitro Luizinho menciona a invasão de campo pela comissão técnica e jogadores reservas do Fast. Em seguida, é narrada a briga entre as torcidas dos dois clubes nas arquibancadas, o arremesso de objetos em campo, como garrafas de água e um tambor.

No anexo, ainda são informadas a expulsão do auxiliar técnico do Tricolor, Ney Júnior, por invadir o campo e empurrar agressivamente o árbitro no peito. E Júnior voltou a campo depois de ser retirado por policiais, conforme a súmula, com a ‘intenção de agredir’ o árbitro.

O Fast ainda teve as expulsões do treinador de goleiros, Francisco Carlos, que jogou uma garrafa de água na direção da torcida do Manaus FC ao ir para o vestiário, e do preparador físico Mozart Carlos, que teria agredido com socos os braços do quarto árbitro (Freddy Rafael Lopez Fernandez) e arremessado também ‘várias garrafas plásticas de água’ nos torcedores do Gavião. Tudo isso conforme o relatório do árbitro Luizinho Lima.

blank

Confusão será julgada pela Tribunal de Justiça Desportiva do Amazonas. Foto: Eraldo Lopes

 

blank

Partida ocorreu na noite de ontem, no Estádio Carlos Zamith, no Coroado, zona leste. Foto: Eraldo Lopes

 

Anúncio