Richarlison decide contra a Arábia Saudita, e Brasil avança como líder para as quartas de final

O resultado classifica o Brasil como líder do Grupo D com sete pontos somados

Japão – Richarlison brilhou de novo, marcou duas vezes, e a seleção brasileira venceu por 3 a 1 a Arábia Saudita, na manhã desta quarta-feira (28), e se classificou para as quartas de final do futebol masculino nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020. O outro gol brasileiro foi de Matheus Cunha, no começo do primeiro tempo.

O resultado classifica o Brasil como líder do Grupo D com sete pontos somados. A Costa do Marfim avança em segundo e a atual vice-campeã olímpica Alemanha já fica pelo caminho.

Richarlison decide contra a Arábia Saudita, e Brasil avança como líder para as quartas de final. (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

O jogo

Desde o começo a seleção já mostrou domínio na partida, com mais investidas no ataque. O primeiro o gol não demorou para sair: Claudinho cruzou um escanteio do lado esquerdo e, de cabeça, Matheus Cunha abriu o placar aos 13 minutos do primeiro tempo.

Após abrir o placar, a seleção brasileira seguiu em cima dos sauditas. Seis minutos depois do  gol, Guilherme Arana mandou a bola para a área e Antony cabeceou na trave. Na sequência, o Brasil insistiu em mandar a bola para o gol, até que acabou finalizando pela linha de fundo.

Embora a seleção brasileira demonstrasse mais qualidade em campo, a seleção da Arábia Saudita manteve mais a posse de bola e tentou aproveitar lances de bolas paradas para chegar ao empate. E o gol saiu justamente após um cruzamento de uma falta na intermediária, que o zagueiro Al Amri cabeceou para o gol, para deixar tudo igual no placar aos 26 minutos.

O Brasil voltou a assustar os sauditas aos 36 minutos. Após ora brasileiros trocarem passe no campo de ataque, Guilherme Arana recebeu pelo lado esquerdo e arristou o chute, que passou raspando a a trave do goleiro Al Bukhari. Depois disso, a seleção chegou mais duas vezes em sequência: primeiro com Richarlison, que parou no goleiro sem muito perigo, depois, com Claudinho, recebendo cruzando de Daniel Alves e mandando à direita do gol.

Mas o foi aos 40 minutos que quase o brasileiros comemoram o segundo. Matheus Cunha cruzou rasteiro e achou Antony na pequena área, mas ele já estava pressionado pelo goleiro, que se jogou no chão para pegar a bola que já estava no pé do atacante brasileiro. Al Bukhari até precisou de atendimento médico após a defesa. Esse foi o último lance de perigo no primeiro tempo.

Para a etapa complementar, o técnico André Jardine colocou Malcom no lugar de Antony. A seleção voltou para o segundo tempo do mesmo jeito que terminou o primeiro: com domínio dos lances ofensivos, mas sem oferecer tanto perigo.

O primeiro grande lance do segundo tempo aconteceu aos 20 minutos. Após um chute de Matheus Henrique, o goleiro saudita espalma, a bola sobra para no pé de Matheus Cunha, que sozinho chuta na trave. Na sequência, o Brasil tentou seguir a jogada, no entanto, não conseguiu mais oferecer perigo ao gol da Arábia Saudita no lance.

Seis minutos depois, mais uma boa chegada da seleção. Richarlison recebe passe de Reinier na entrada da área, e chuta forte e alta, mas o goleiro Al Bukhari defendeu bem. O Brasil seguiu pressionando, e após um cruzamento de Daniel Alves na área, a zaga saudita afastou parcialmente, Bruno Guimarães cabeceou de volta para a área e Richarlison, também de cabeça, mandou para as redes.

No final da partida, Richarlison ainda marcou duas vezes. Na primeira recebeu um passa da linha de fundo e, dentro da pequena área, empurrou para as redes — mas o gol foi anuldo por impedimento. Depois, em uma jogada parecida, o camisa 10 da seleção recebeu de novo e mandou para o gol, agora com todos em posição legal, para ampliar e fechar o placar do jogo em 3 a 1.

Anúncio