Sem atletas o suficiente, Iranduba perde por W.O para o 3B

De acordo com as regras da competição, o menor número de atletas para validar uma partida são sete

Manaus – O maior clássico do futebol feminino amazonense teve desfecho melancólico na manhã deste domingo (28). Sem número suficiente de atletas para iniciar a partida, o Iranduba perdeu por W.O para o 3B da Amazônia, em jogo marcado para o CT do 3B, e válido pela segunda rodada do Estadual 2021.

Atravessando grave crise financeira, o maior campeão do futebol feminino no Estado foi à campo com apenas seis jogadoras. De acordo com as regras da competição, o menor número de atletas para validar uma partida são sete. Com isso, o 3B foi declarado vencedor e ficou com os pontos do duelo.

(Fotos: João Normando/FAF)

Vale ressaltar que o clássico foi remarcado por duas vezes pela Federação Amazonense de Futebol (FAF): de quarta-feira (24) para sábado (26) e, posteriormente, para este domingo. Tudo para que a diretoria do Hulk da Amazônia conseguisse regularizar suas atletas.

A desculpa apresentada pelo Iranduba é que boa parte de suas atletas teve de prestar exame do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), que acontece na manhã deste domingo. Mesmo assim, o Hulk apresentou relação de sete atletas para o jogo. No entanto, uma das jogadoras não compareceu ao jogo.

Pegou mal

A derrota do Iranduba para o 3B por W.O pelo Campeonato Amazonense mostra uma total desconexão com outra competição que está sendo disputada na capital. Enquanto no Torneio Internacional de Manaus, a Seleção Brasileira, da Venezuela, Índia e Chile dispõem das melhores condições de estrutura, a grande parte das jogadoras que tentam jogar o Amazonense sofrem sem locais de treino, estrutura e demais condições mínimas para a realização de uma boa apresentação.

Outro exemplo da falta de maior atenção por parte dos dirigentes que comandam o futebol das mulheres no Amazonas ocorreu na abertura do Estadual 2021. Com apenas 10 atletas disponíveis, o Tarumã foi goleado pelo 3B por 12 a 0. O pior é que a partida teve de ser interrompida antes do tempo normal, também por número insuficiente de jogadoras.

blank

(Foto: João Normando/FAF)

Durante o jogo, algumas jogadoras do Lobo do Norte se lesionaram, e como não haviam substitutas no banco de reservas, a partida teve de ser encerrada.

A igualdade no futebol entre homens e mulheres, que tanto pede a rainha Marta, parece ser um sonho cada vez distante da realidade, tendo em vista que a igualdade sequer pode ser vista dentro da própria categoria. Neste domingo (28), a Seleção encara a Venezuela, na Arena da Amazônia, pela segunda rodada do Torneio Internacional. Competição que segue sendo utopia para nossas atletas.

Anúncio