Série B do Amazonense: curta e sem grandes apostas

Com somente cinco clubes inscritos – Holanda, Cliper, Tarumã, Sul América e Iranduba –, divisão de acesso deste ano vai durar menos de um mês e com a maioria dos elencos formado por jogadores das categorias de base

Manaus – A Série B do Amazonense de 2018 começa no próximo sábado (29) e encerra no dia 20 de outubro. De tiro curtíssimo, com duração de 22 dias, e a participação de apenas cinco equipes – Holanda, Cliper, Tarumã, Sul América e Iranduba da Amazônia –, a divisão de acesso do Estadual garante duas vagas à elite do futebol local do próximo ano.

E um dos destaques da Série B deve ser o Iranduba, que volta a ter uma equipe masculina no futebol profissional após despontar nacionalmente na categoria feminina. Há três anos afastado, o Hulk investiu pesado nas contratações e sua base será formada, principalmente, por jogadores da Série A do Estadual deste ano.

Após três anos, o Iranduba da Amazônia volta a utilizar uma equipe masculina para buscar uma vaga na Série A do Estadual de 2019. Maioria dos jogadores veio do Manaus FC (Foto: Eraldo Lopes)

O Iranduba se abasteceu de atletas vindo a maioria do Manaus FC, atual bicampeão amazonense, como os goleiros Jonathan e Bruno Saul, o volante Juninho, os laterais Igor Martins (direito) e Matheus Iton (esquerdo), o zagueiro Deurick, o meia Tiago Amazonense e o atacante Claudinei.

Outros vindo de clubes da Primeirona são o meia Raílson e o atacante Charles, ex-São Raimundo e Penarol, e o também atacante Hayllan, ex-Nacional. O volante Roberto Dinamite, com passagens por clubes como Fast e Nacional.

O técnico do Iranduba será Igor Cearense, com trabalho de destaque como treinador e auxiliar também no Manaus FC. “Temos uma equipe forte, queremos conquistar o acesso e vamos brigar por isso. E, claro, respeitamos os nossos adversários, que têm o mesmo objetivo que o nosso e como será um torneio de tiro curto, precisamos tomar toda a cautela possível”, explicou o treinador.

O treinador do Hulk ainda terá como seu ajudante o ídolo do São Raimundo, o ex-jogador Neto, que foi campeão da Série B no ano passado, com o próprio Tufão da Colina. Agora Neto tentará seu primeiro título como auxiliar e assim, quem sabe, começar sua carreira como técnico de futebol.

“É um desafio diferente. Como auxiliar, tenho que procurar sempre analisar como o adversário age dentro de campo. Eu procuro passar a minha experiência para que esses jogadores possam crescer ainda mais dentro de campo. Estou gostando muito da minha nova função e quem sabe, para o futuro pretendo me tornar treinador”, disse Neto.

Já as equipes do Cliper e Tarumã irão disputar a Série B do Amazonense com a base dos respectivos times sub-23. Ambos os clubes apostam em suas jovens jogadores e promessas para conseguirem o tão sonhado acesso para a Série A e, assim, poder disponibilizar mais experiência profissional aos seus jogadores.

O Cliper contará com os goleiros Magrão e George Naveca. A zaga será formada por Rai Silva, Gustavo Souza, Jefferson e Ednaldo. Na lateral direita, Leon Thyerry e Jhony. Na esquerda, Daniel Júnior e Keven Ceará compõem o sistema defensivo. Os volantes serão Wagner Souza, Caio Luan, Nedson Lima e Luciano Santarém. O setor de criação será por conta de Christian Pato, Vitor Stocco, Marcelo Mendes e Luan Boquita. O setor ofensivo será composto por Neto Morais, Jonathan Brocador, Rafael Sarrada, Jarbleson Mutuca e Raifran Neves.

E o treinador Jaime Vauly, apesar da juventude e inexperiência do plantel em competições longe das categorias de base, está confiante na ascensão do modesto Cliper. “Nós vamos trabalhar forte para este objetivo. Sabemos que não será fácil, mas vamos nos dedicar ao máximo. Nosso time será uma mescla com os jogadores da base que acreditamos estarem aptos a disputar o profissional”, justificou o treinador.

Até o fechamento desta edição do DIÁRIO, o Tarumã não disponibilizou o elenco completo, mas a equipe tem treinado forte para a ‘Segundinha’. Além da base do sub-23, o clube conta com jogadores do interior do Estado. De acordo com o treinador português Fernando Lage, o Tarumã será uma grande surpresa no campeonato.

“Nós temos ótimos jogadores, que ainda são desconhecidos do público, porém, são muito talentosos. Acredito que nós temos condições reais de chegarmos à classificação para a primeira divisão. Estamos treinando muito duro para isso, além de termos reforços de fora do Amazonas. As surpresas que vieram do interior, de um projeto social que temos”, finalizou o comandante do Lobo do Norte.

Anúncio