Veja tudo o que se sabe sobre a Copa do Mundo de 2030 que será em seis países

Mundial vai ter jogos em três continentes e já há nações que disputam o título de palco da final da competição

São Paulo – O presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez, e a Fifa anunciaram na última quarta-feira (4), que a Copa do Mundo de 2030, ano em que a competição completa o centenário, vai ser realizada em três continentes diferentes e em seis países. Uruguai, Argentina, Paraguai, Espanha, Portugal e Marrocos serão palco da competição.

(Foto: Reprodução/Twitter @Fifamedia)

Por que Uruguai, Argentina e Paraguai?

A Fifa e a Conmebol escolheram os países porque o Uruguai foi a sede em 1930, a Argentina é a atual campeã do Mundial e o Paraguai é a sede da Conmebol.

A Fifa e a Conmebol justificaram a ausência com a afirmação de que ficaria desequilibrado a América do Sul ter quatro representantes e as sedes, três. Porém, o presidente do Chile, Gabriel Boric, garante que tentará recorrer da decisão, porque “não se brinca com a integridade e o nome nacional” do país.

Ainda não há nada oficial sobre onde será realizada a final. Mas, ao que tudo indica, será na Europa. Segundo o ministro interino dos Esportes espanhol, Miquel Iceta, a Espanha é uma forte candidata. “Espera-se que a final seja realizada na Espanha”, afirmou à rádio Onda Cero.

Porém, os espanhóis podem enfrentar uma certa resistência. Isso porque o presidente da Federação Marroquina de Futebol (FMRF), Faouzi Kekjaa, quer que o país africano seja palco da final.
O estádio seria o Grand Stade de Casablanca, que ainda não foi construído, mas é planejado para contemplar de 93 a 100 mil torcedores.

Os países sede devem propor de 14 a 18 estádios para a realização dos jogos. Ao menos sete devem estar construídos. Como a candidatura é conjunta, cada uma das federações deve propor, no mínimo, dois estádios.

A Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) deve reduzir uma lista de 15 estádios, entre eles Santiago Bernabéu e Metropolitano, em Madri; Camp Nou e Stage Front Stadium, em Barcelona.

Portugal também propôs o Estádio do Dragão, em Porto; Estádio da Luz, do Benfica; e o Estádio José Alvalade, em Lisboa. Marrocos, por sua vez, colocou à disposição cinco cidades capazes de receber as partidas: Rabat, Casablanca, Tânger, Agadir, Marraquexe e Fez.

Anúncio