Hamilton fala sobre saída do Manaus e deixa portas abertas

Ídolo no Gavião do Norte e decisivo no acesso à Série C, manauara trocou time local pelo Campeão da Série D

Manaus – Nesta semana, o Manaus FC sofreu com a perda de seu maior ídolo: o meia-atacante Hamilton. A saída do jogador foi, sem dúvida, um ‘golpe’ ainda não assimilado pela torcida do Gavião do Norte. Depois de três temporadas (2017/18/19), onde defendeu as cores do time da zona sul da capital em 65 partidas e balançou as redes 29 vezes, conquistando ainda o tri campeonato estadual e um vice-Campeonato Brasileiro da Série D, o ‘Hamito’, agora, se prepara para estrear como jogador do Brusque, equipe que venceu sua antiga equipe na finalíssima da quarta divisão do futebol nacional.

(Foto Reinaldo Okita/Arquivo/GDR)

Hamilton Soares de Sá, 28, assinou um contrato de três meses para disputar a Copa Santa Catarina pelo algoz do Manaus na divisão de acesso do futebol brasileiro. Logo após o jogo histórico, dirigentes do ‘Marreco catarinense’ procuraram Hamilton e, desde então, iniciaram as tratativas para selar a transferência do norte do país para o sul.

O interesse do clube catarinense não foi a toa. Se não bastasse ser ídolo da torcida do Gavião, Hamilton foi o vice-artilheiro do Brasileiro, com oito gols marcados em 14 jogos disputados. O jogador ficou atrás somente de Júnior Pirambu, que disputou a competição nacional pelo Brusque e comemorou seus tentos dez vezes.

A transferência

Quinze dias após a final da Série D, Hamilton foi anunciado como reforço do Brusque sem qualquer ressarcimento financeiro para seu ex-clube, o Manaus FC. Sem contrato com o Gavião do Norte, o jogador pegou a torcida de surpresa ao aceitar a proposta de três meses do time de Santa Catarina.

Após o anuncio, ‘Hamito’ foi chamado de mercenário e recebeu duras criticas da torcida em seu perfil no Instagram. Na sexta-feira, após o treino, o jogador falou de forma exclusiva ao GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC), e não descartou uma ‘volta para casa’, mesmo após as duras críticas recebidas por alguns torcedores.

“O Manaus FC ainda é sim um desejo para a temporada que vem. Mas isso não depende só de mim, mas da diretoria também. Estou recebendo muito apoio dos meus amigos, mas em relação às críticas, quando recebo diretamente, eu mando irem para bem longe (risos)”, disse em meio a risadas.

‘Depende dele’

Para alegria do torcedor amazonense, assim como o jogador mantém as portas abertas para o ex-clube, o clube também mantém as portas abertas para o jogador. “Depende dele (Hamilton) querer continuar conosco, essa história maravilhosa que ele fez com o Manaus FC. As portas não estão fechadas. Seria hipocrisia minha dizer que ele não jogaria mais conosco. Como ele nos deu essa possibilidade, com certeza, iremos entrar em contato e tentar um acordo, principalmente, financeiro, pois nós não temos condições de entrar em leilão”, disse Giovanni Silva, atual presidente do Manaus FC.

Vai ficar?

O Brusque fez sua estreia na Copa Santa Catarina neste domingo (8), contra o Tubarão, às 15h (de Manaus), no Estádio Augusto Bauer e pode contar com a estréia de Hamilton, que foi regularizado na última sexta-feira (6). O amazonense é um dos reforços do clube catarinense para o torneio, onde segundo o diretor de futebol do Marreco, André Rezini, a cúpula diretora do clube já monitorava Hamilton, deste o início do mata-mata da Série D e já fez um pré-acordo para série C.

“Hamilton é um jogador que chama a atenção, principalmente pelos gols que ele fez até a decisão, por ser um goleador. Mas quando o vimos jogar aqui em Brusque, foi um fator determinante. Nós já fizemos um pré-acordo para o ano que vem, mas isso vai depender da adaptação dele e se o clube ainda vai o enxergar como uma boa contratação”, revelou. Mesmo com tantos fatores extra-campo cercando Hamilton, o meia-atacante mostra empolgação para fazer sua estreia pelo quadricolor e disse que se for permitido pela comissão, pretende adotar novamente o número 25 nas costas. “Estou aqui para ajudar a equipe, se vou ser titular ou não, é o treinador e a comissão técnica que vão decidir. Mas quero continuar a vestir a camisa 25, mesmo estando aqui no Brusque”, finalizou o jogador.