Hotel onde Ronaldinho está preso tem suíte com diária a partir de R$ 1.500

Após deixarem a cadeia em Assunção no Paraguai, o ex-jogador de futebol e seu irmão permanecerão no país em regime de prisão domiciliar

São Paulo – Após um mês detidos, Ronaldinho Gaúcho e seu irmão Roberto de Assis conseguiram deixar a cadeia em Assunção no Paraguai, mas permanecerão no país em regime de prisão domiciliar. Na tarde da última terça-feira (31), o juiz Gustavo Amarilla decidiu autorizar a mudança após o astro pagar fiança de US$ 1,6 milhão (aproximadamente R$ 8,3 milhões) e garantir que ficará no Hotel Palmaroga, no centro da capital paraguaia.

Ronaldinho Gaúcho e o irmão Assis foram presos no Paraguai com passaporte fraudulento (Foto: Divulgação)

O ex-jogador vai ficar hospedado com seu irmão. O valor da diária varia de acordo com a quantidade de dias hospedado, mas o dia não sai por menos de US$ 300 (R$ 1.566). O Hotel Palmaroga fica na Calle Palma, rua localizada no microcentro de Assunção e em nada lembra o local em que o ex-jogador passou os últimos 32 dias.

A prisão domiciliar de Ronaldinho está perto dos principais pontos turísticos de Assunção e é construída sob fundamentos da arquitetura neoclássica. O hotel mescla o tradicional com o moderno em suas habitações e nas áreas comuns é sempre citado como um dos melhores do Paraguai em sites especializados no assunto.

No total, o hotel conta com 107 quartos, divididos em oito modelos. A Suíte Presidencial tem cama king size com dosel (uma estrutura, geralmente de madeira, onde pode ser colocado um tecido e deixar uma espécie de cortina sobre a cama); duas Tvs 4K, sendo uma delas de 45 polegadas e outra de 55; banheira com hidromassagem; roupão e pantufas; grande chuveiro, cozinha, banheiro social, cofre, máquina de café expresso, além de uma mobília completa em um quarto que simula um apartamento, com sala e cozinha.

Ronaldinho ainda terá à sua disposição academia e piscina, além dos serviços triviais de um hotel (estacionamento, lavanderia, café da manhã, serviço de quarto). O fato é que o ex-jogador passa a viver em um mundo bem diferente do que estava até terça-feira, quando conseguiu a mudança de regime. No Agrupamento Especializado de Assunção, local de sua prisão, Ronaldinho vivia, ao lado de Assis, em cela que tinha seis metros de comprimento por três de largura. O local comportava duas camas de solteiro, onde eles dormiam, mais uma geladeira e um televisor, que ele mesmo mandou comprar e deixou lá.

O local era um quartel que se tornou prisão de criminosos considerados altamente perigosos ou que não poderiam ficar com ‘presos comuns’ por diversos motivos. O local recebe narcotraficantes, terroristas, dirigentes de futebol e políticos que cometem crimes. Membros do Primeiro Comando da Capital (PCC) e do Comando Vermelho (CV) estariam detidos no local.